Sermão 9

Como Saber a Vontade de Deus?

Pregador: Pr. Luiz Antonio Ferraz

Local: Igreja Batista da Esperança

Data: 25/11/2001

Texto: Filipenses 4:6,7

“Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.”

 

Como Saber a vontade de Deus?

PROPOSIÇÃO: dEUS REVELA SUA VONTADE ATRAVÉS DA PAZ INTERIOR (Filipenses 4:6,7)

 

Introdução

 

1.A paz de Deus guardará nossos corações.

 

2.A paz de Deus guardará nossos sentimentos

 

3.Quando seguimos a vontade de Deus sentiremos uma paz e segurança interior.

 

4.A maior confirmação de que estamos andando na vontade de Deus é a paz.

 

5.Jamais sentiremos a paz verdadeira quando seguimos nosso próprio caminho.

 

Isaias 48:17,18 - “Assim diz o SENHOR, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar. Ah! se tivesses dado ouvidos aos meus mandamentos, então seria a tua paz como o rio, e a tua justiça como as ondas do mar!”

 

6.Se surgirem pensamentos perturbadores e pensamentos inquietantes começam a nos afligir, pode ser um sinal de Deus para retrocedermos em nossa decisão.

 

II.PAZ CONFIANTE

 

1.Orientar-se pela paz interior não é o mesmo que ser orientado pelos sentimentos?

 

2.Como podemos ter certeza de que vem de Deus?

 

3.Se o sentimento de paz interior fosse nossa única fonte de orientação, a vontade de Deus seria indiscutivelmente subjetiva.

 

4.(1) Devemos render nossa vontade à vontade de Deus: “...com ação de graças...”

 

5.(2) Devemos viver pela palavra: “Não estejais inquietos por coisa alguma...”

 

6.(3) Devemos fazer orações pedindo direção: “...pela oração e súplica...”

 

7.(4) Devemos ter bom senso não tomando decisão sem orar: “...vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus...”

 

8.(5) Então teremos paz interior: “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.”

 

9.Algumas pessoas dizem sentir paz quando estão desobedecendo a palavra de Deus, mas Ele jamais dá paz com relação a algo que contrarie sua palavra. O sentimento de paz deve sempre ser testado através da palavra.

 

iII.PAZ permanente

 

1.É possível que algo ou alguém perturbe a paz que Deus quer que tenhamos, para nos afastarmos da vontade de Deus.

 

2.Mesmo decisões tomadas de acordo com a vontade de Deus, podem trazer dificuldades, e, desse modo, perturbar nossa paz interior.

 

3.Devemos permanecer em paz mesmo em meio as dificuldades. Ventos contrários e mares tempestuosos não provam que estamos fora da vontade de Deus. Jesus mandou os discípulos tomarem um barco para a Galiléis, e no caminho encontraram dificuldades:

Mt.14:22-24 - “E logo ordenou Jesus que os seus discípulos entrassem no barco, e fossem adiante para o outro lado, enquanto despedia a multidão. E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar, à parte. E, chegada já a tarde, estava ali só. E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário.”

 

4.Provações, sacrifícios e dificuldades podem ser esperados quando nos achamos na vontade de Deus. Não devemos fugir deles, pois fazem parte do seu plano para levar-nos à maturidade:

 

Salmo 34:19 - “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR o livra de todas.”

 

5.Deus enviou José ao Egito para livrar a humanidade da fome, mas antes Deus o levou à prisão.

 

6.Deus levou Israel para Canaã, mas antes levou-o para o deserto!

 

7.Paulo e Silas foram presos e açoitados antes de serem conduzidos a Jerusalém, e foram avisados que tribulações e cadeias os aguardavam.

 

8.Jesus foi enviado para a cruz!

 

9.As tribulações fazem parte da vida do cristão:

 

Atos 14:22 - “Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.”

 

10.Devemos manter os olhos em nosso Guia e não nos obstáculos ou circunstâncias difíceis. A confiança irá remover a insegurança e restaurar a paz!

 

Iv. PAZ PERSEVERANTE

 

1.A demora na resposta da oração pode também perturbar a paz interior.

 

2.É como fazer um telefonema urgente, ouvir a campainha tocar do outro lado sem que ninguém responda. Ficamos nervosos e impaciente quando isto acontece.

 

3.A maiorira de nós não gosta de esperar. Queremos respostas imediatas.

 

4.O salmista também não gostava de esperar:

 

Salmo 10:1 - “Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia?”

 

Salmo 28:1 - “A ti clamarei, ó SENHOR, Rocha minha; não emudeças para comigo; não aconteça, calando-te tu para comigo, que eu fique semelhante aos que descem ao abismo.”

 

5.Jó também teve dificuldade em esperar:

 

Jó 23:3-8 - “Ah, se eu soubesse onde o poderia achar! Então me chegaria ao seu tribunal. Exporia ante ele a minha causa, e a minha boca encheria de argumentos. Saberia as palavras com que ele me responderia, e entenderia o que me dissesse. Porventura segundo a grandeza de seu poder contenderia comigo? Não: ele antes me atenderia. Ali o reto pleitearia com ele, e eu me livraria para sempre do meu Juiz. Eis que se me adianto, ali não está; se torno para trás, não o percebo.”

 

6.Nós também agimos assim. Fazemos escolhas impulsivas e insensatas que prejudicam durante anos, por não querermos aguardar pacientemente que Deus nos mostre a sua vontade.

 

7.Casamento: Alguns rapazes e moças parecem pensar que jamais terão outra oportunidade para casamento se permitirem que esta escape, e assim precipitam-se em casar-se.

 

8.Emprego: Outras  pessoassaem do emprego por razões triviais, vendem sua casa e se mudam para outra cidade sem qualquer orientação clara.

 

9.Divórcio: Outros pedem divórcio sem pensar nas conseqüências do que diz a palavra de Deus.

 

10.A palavra nos ordena a refletirmos e perseverarmos na oração:

 

Provérbios 19:2 - “Assim como não é bom ficar a alma sem conhecimento, peca aquele que se apressa com seus pés.”

 

11.Por que Deus demora em dar-nos orientação quando precisamos tanto dela?

 

Isaias 30:18 - “Por isso, o SENHOR esperará, para ter misericórdia de vós; e por isso se levantará, para se compadecer de vós, porque o SENHOR é um Deus de eqüidade; bem-aventurados todos os que nele esperam.”

 

12.Quanto mais Deus se demora e quanto mais desesperada se torna a nossa situação, tanto mais graciosa e poderosa será a sua ajuda e tanto mais gloriosamente será Ele exaltado.

 

13.Ele demora a fim de demonstrar melhor a sua misericórdia e glorificar-se.

 

14.As grandes esperas são no geral seguidas de respostas espetaculares.

 

15.Os períodos de espera podem ser também épocas de grande crescimento espiritual.

 

16.Talvez mediante a sua demora Deus pode estar tentando ensinar algo melhor ainda do que a resposta que aguardamos.

 

17.Os “atrasos” de Deus tem sempre um propósito bom e, embora não saibamos qual  seja, Deus espera que confiemos e aguardemos nele.

 

Isaias 28:16 - “Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse.”

 

18.Não devemos estabelecer limites de tempo para Deus, pois Ele nem sempre opera de acordo com o nosso horário.

 

19.Não nos cabe apressá-lo, mesmo que as pessoas ao nosso redor estejam gritando conosco para que tomemos uma decisão.

 

20.Satanás pode estar nos apressando a tomar uma decisão, de acordo com a vontade de Deus, mas fora do tempo, para arruinar nossa vida.

 

21.A ordem é: Confie em Deus e espere!

 

Conclusão

 

1.Deus nos revela sua vontade através da paz interior.

 

2.Deus nos revela sua vontade através da paz confiante.

 

3.Deus nos revela sua vontade através da paz permanente.

 

4.Deus nos revela sua vontade através da paz perseverante.