cap 9 - sERMÃO V2

OS HERÓIS DA FÉ

HEBREUS 11

O desejo de Paulo em relação aos irmãos judeus é que perseverem na fé de Cristo. Se tiverem que trabalhar na obra, passar por provações e assegurar as bênçãos que há em Cristo, devem perseverar na profissão de fé cristã. Ele nota que nada, a não ser a fé perseverante na Palavra de Deus em relação a Cristo, como Sumo Sacerdote que é fiel e capaz, os sustentará nas provações que vêm e virão sobre eles. Paulo sabe que nada, a não ser uma fé perseverante mostrará que são crentes verdadeiros em Cristo. E expressa a esperança de que eles não são daqueles "que se retiram para a perdição, mas daqueles que crêem para a conservação da alma". Hebreus 10:39.

A fim de encorajá-los a fazer o que deseja que façam, o autor dá exemplos da própria história, do que alguns homens já haviam passado mas com uma fé perseverante. Os homens de fé sempre enfrentaram provações.

O capítulo 11 de Hebreus é o grande capítulo de fé na Bíblia. É o registro de honra do exército fiel de Deus. Contém o nome dos que se tornaram famosos por sua fé em Deus. Neste capítulo temos:

1. A BASE DA FÉ: A PALAVRA DE DEUS. A fé se baseia no fato de que Deus falou. Sem a revelação, pode haver imaginação, mas não pode haver fé. Pode haver filosofia, mas não pode haver fé. Romanos 10:17 afirma: "De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus". Como podem crer em Quem não ouviram?

2. A NATUREZA DA FÉ. "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem". Hebreus 11:1. As palavras "o firme fundamento" significam confiança. As palavras "firme fundamento" no grego é a palavra "substratum" que significa "confiança". Esta palavra é traduzida nas seguintes maneiras no Novo Testamento: confiança em Hebreus 3:14, firme fundamento em 2 Coríntios 9:14, confiança em 2 Coríntios 11:17 e firme fundamento em Hebreus 11:1. As palavras "a prova" significam convicção. Esta palavra é traduzida em 2 Timóteo como "redargüir". A fé é a confiança das coisas que se esperam; a convicção daquilo que não se vê. É um estado de mente que dá a certeza de que aquilo que se espera será recebido eventualmente; é a convicção de que a Palavra de Deus é verdadeira ao falar de coisas que não podem ser vistas nem discernidas pela razão.

3. A IMPORTÂNCIA DA FÉ. "Porque por ela os antigos alcançaram testemunho". Hebreus 11:2. Deus deu um testemunho favorável sobre homens de fé, os quais não eram estimados pelo mundo. Eram considerados excêntricos e tolos pelo mundo, mas Deus os elogia.

4. EXEMPLO DE FÉ. "Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente". Hebreus 11:3. A fé se refere a coisas que não se vêem, nem podem ser conhecidas pelo raciocínio ou experiência humana. A criação é um objeto de fé. É uma das coisas que não se vê. Ninguém foi testemunha ocular do momento em que o mundo passou a existir. A filosofia humana não pode lançar nenhuma luz sobre o assunto. A ciência não pode nos dizer. A única maneira pela qual podemos saber é pela fé, e a fé se baseia na Palavra de Deus. Deus nos diz como o mundo foi criado e a fé é o estado de mente que aceita Sua Palavra sobre isto. Os mundos não foram criados com coisas que vemos, mas receberam ordem de existir. Os filósofos antigos ou criam que o mundo era eterno ou que a matéria era eterna. Sem fé na Palavra de Deus ninguém tem nem pode saber como os mundos foram criados.

5. ILUSTRAÇÕES SOBRE A EFICÁCIA OU PODER DA FÉ. Hebreus 11:4-40.

1. Abel, versículo 4. A fé de Abel dizia respeito a coisas por vir.

a. Deus deu a Caim e a Abel uma revelação sobre como se tornar justo. Ele instituiu um sistema de ofertas de sacrifício, dizendo a eles o que e quando deviam trazer. A obediência a esta ordem os tornaria aceitáveis a Deus e justos diante dEle.

b. Os dois trouxeram os sacrifícios ao mesmo tempo ! ao cabo de dias ou no sábado. Caim não era irreligioso ! ele trouxe um sacrifício a Deus: o fruto da terra. Abel trouxe as primícias do rebanho.

c. Deus aceitou Abel e sua oferta, mas rejeitou Caim e a oferta que trouxera. O homem e o sacrifício que oferece não são coisas separadas. Se o sacrifício for rejeitado, ele também o será.

d. A oferta de Abel foi aceita, porque ele a ofereceu pela fé. Abel trouxe o que Deus ordenara. Quando Deus instituiu os sacrifícios, Ele não os deixou ao julgamento, conveniência ou prazer do homem quanto ao que deveria oferecer. Abel creu em Deus e trouxe o que Deus ordenara para sua justificação. Caim rejeitou a Palavra de Deus sobre o tipo do sacrifício e o substituiu a seu bel-prazer. O de Abel foi um sacrifício mais excelente do que o de Caim. A palavra traduzida como "maior sacrifício" significa mais completo, mais excelente, mais abundante. Ao ordenar o sacrifício, Deus queria que Ele tipificasse Cristo, o Cordeiro de Deus. Ele especificou um cordeiro com o sangue como lembrete e confissão do pecado e ainda como o caminho para a justiça. O princípio de que sem derramamento de sangue não há remissão já valia desde o princípio. Abel o aceitou. Pela fé, trouxe o que Deus designara. O que Caim trouxe não foi pela fé. Se fosse, teria sido o que Deus ordenara, um cordeiro sacrificado.

Abel obteve o testemunho de que era justo. Deus fez Abel saber que sua oferta fora aceita e que era justo. Foi esta a reação de Deus à sua fé. Talvez Deus tenha feito fogo cair, consumindo o sacrifício.

Abel continua a falar mesmo depois de morto. Seu sangue clamava do chão contra Caim. "E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel". Hebreus 12:24.

2. Enoque, versículo 5. Fé a respeito do que se espera. Enoque teve uma revelação de Deus. Ele seria levado ao céu, por Deus, sem morrer. Sua trasladação era o que esperava e a fé era a confiança de que não morreria.

Ele obteve um bom testemunho. Deus testificou que Enoque O agradou.

3. Noé, versículo 7. Fé em relação ao que se esperava e ao que não se via. O que não se via: dilúvio e destruição do mundo. O que se esperava: ficar a salvo do dilúvio.

Fatos sobre Noé.

a. Deus o avisou sobre o dilúvio, o qual nunca vira. Não podia ser conhecido, a não ser através de revelação. Não houve sinais de um dilúvio prestes a chegar.

b. Movido pelo temor, Noé construiu a arca. Ele acreditou em Deus. Não se fez de surdo. Nem deixou o fato de lado. Nem se esqueceu. Deus já avisou sobre um julgamento que virá e que é pior do que o dilúvio, mas muitos nem ligam. Não há temor de Deus ! que é o princípio da sabedoria. Os ateus tão sábios chamam os crentes hoje de tolos e os pastores que avisam sobre o julgamento iminente de berrador insensato.

c. Salvou a família. A fé de Noé não foi em vão. Vale a pena acreditar na Palavra de Deus. Ele nunca brinca quando fala. Sempre cumpre o que diz. Deus é fiel no que fala, quer seja um aviso ou uma promessa. É difícil acreditar no que os homens dizem hoje. Quase não dá para levá-los a sério. Falam dum jeito e agem de outro. Quem não liga para a Palavra de Deus, um dia vai pagar caro por isso. Os vizinhos de Noé consideraram a Palavra de Deus uma piada e sem dúvida usaram o raciocínio contra ao escutá-la. Provavelmente comentaram que nunca houvera um dilúvio; que não havia sinais de dilúvio; que não havia nada na natureza que causasse um dilúvio, e que era perda de tempo se preparar para uma coisa assim. Talvez até zombassem da arca que Noé estava construindo. Como é que ele sabia que não ia afundar? Nunca ninguém havia navegado antes. Ele nem podia fazer uma demonstração. Mas depois de chover algumas horas e quando já era tarde para se construir um barco; quando o povo começou a sentir a água pelo joelho; quando ela começou a subir cada vez mais alto e o céu se tornava cada vez mais escuro, Noé se encontrava a salvo na arca, navegando sobre as ondas e deu para saber quem era o tolo. Nunca é tolo aquele que acredita na Palavra de Deus.

d. Condenou o mundo. Noé foi um pregador da justiça. Ele chamou a atenção dos homens para o jeito errado em que viviam. Era preciso fé para fazer isso. Deus dissera que o mundo era mau e Noé pregou sobre isto. Ele não cedeu agindo de modo agradável nem com idéias lisonjeiras. Noé pregou o que Deus o mandou pregar e ao fazer isto, condenou o mundo.

e. Tornou-se herdeiro da justiça pela fé. Noé foi salvo não só do dilúvio, mas também do lago de fogo. Foi aceito como justo diante de Deus. Ele deve ter visto na arca, um símbolo de Jesus Cristo ! a arca da segurança eterna contra a destruição pelo fogo. O cordeiro de Abel tipificava Cristo em Sua morte sacrificial; a arca de Noé tipificava Cristo como um lugar de segurança contra o juízo iminente.

 

Autor: C. D. Cole
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br