cap 15 - SERMÃO V2

NEGLIGENCIANDO A GRANDE SALVACÃO

Portanto convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas. Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição, como esperamos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram, testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas e dons do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade"? Hebreus 2:1-4.

Nosso texto é uma exortação para se dar ouvidos e atenção à mensagem do Evangelho. O Evangelho são as boas novas sobre a grande salvação que foi preparada para os pecadores, e se a deixarmos de ouvir e não dermos atenção a esta mensagem não haverá jeito de escapar às conseqüências terríveis do pecado. O primeiro versículo do nosso texto é traduzido de várias maneiras. Uma das versões apresenta a última sentença assim: "Para que delas jamais nos desviemos". Mas, seja qual for a tradução e interpretação o pensamento é o mesmo: um aviso contra não se ouvir nem se dar atenção ao plano da salvação, como está escrito na Palavra de Deus.

A salvação do lado humano é através do arrependimento e fé; e isto implica ouvir e dar atenção ao Evangelho. Enquanto os homens ouvirem o Evangelho por um ouvido e o deixarem sair pelo outro nunca poderão ser salvos.

Gosto da tradução que diz: "Para que delas jamais nos desviemos". A maioria das pessoas estão flutuando para o inferno. Flutuar é um processo inconsciente. Pode-se estar num barco, soltar os remos e pensar que está parado, mas quando olhamos, podemos ver que não estamos onde estávamos antes, que nos movemos com o corrente. Alguns homens parecem estar num barco indo a todo vapor para a destruição, mas a maioria fica só flutuando. O assassino, o bêbado, o jogador e o ateu estão correndo na direção da ruína eterna, mas a maioria dos homens está flutuando inconscientemente nesta direção.

Certa vez, um homem estava num barco, no rio Niágara, a uma distância até boa das cataratas. Ficou cansado e por isso colocou os remos no fundo do barco e deixou-se ficar flutuando. Sentou-se de braços cruzados e começou a cochilar. Outro homem, na margem, viu o perigo e gritou. Mas o homem que estava no barco nem se mexeu, estava indo ao sabor da corrente sem saber não tinha o sentido real do perigo. O homem na margem saiu correndo e gritando, mas o outro nem ligou. Ficou lá sentado até que o Niágara o jogou nas cataratas para uma morte certa e instantânea. A negligência custou-lhe a vida. E não perdeu a vida por ter feito alguma coisa, foi só pela negligência, flutuou para a morte!

O inferno e o castigo eterno é o preço para a negligência. Os homens não precisam matar, nem roubar, nem beber, nem jogar para serem perdidos. Estes crimes podem aumentar as misérias do inferno, mas quem não faz nada disto ainda é pecador e precisa da salvação.

POR QUE A SALVAÇÃO É NEGLIGENCIADA?Se a salvação é libertação do pecado; se significa escapar do fogo eterno; se significa receber o favor de Deus; se significa a felicidade e glória eterna, por que os homens a negligenciam? Se a salvação é tão cara que nada, a não ser o sangue do Filho Eterno de Deus, poderá ser suficiente como pagamento; por que é negligenciada por tanta gente? Se a salvação é adquirida sem dinheiro e sem preço; se é pela graça por meio da fé e não pelas obras; se é o dom de Deus; por que, pergunto outra vez, é negligenciada assim? Há respostas na Bíblia para todas estas perguntas, e a única resposta para qualquer uma delas só pode ser encontrada nas Escrituras. A salvação é negligenciada porque os homens não tem interesse neles mesmos? É porque o pecador não ama a si mesmo? Não! Não pode ser isto, pois o pecador ama a si mesmo, tanto quanto o salvo.

A resposta correta à pergunta: "Por que a salvação é negligenciada"? É encontrada na condição da mente e do coração do homem natural. A Bíblia diz que a mente carnal é inimizade contra Deus; que o coração é mais enganoso do que todas as coisas e desesperadamente mau. De acordo com a Bíblia o pecado destruiu o raciocínio e a afeção do homem natural. A Palavra de Deus diz que o homem natural não recebe as coisas do Espírito de Deus, pois são loucura para ele, nem pode conhecê-las porque são discernidas espiritualmente. Paulo disse que se o Evangelho que pregava fosse escondido, estaria escondido para os perdidos, cujas mentes foram cegadas pelo deus deste mundo. O pecado distorceu e deformou tanto a natureza humana, que os desejos do homem são o contrário das necessidades dele. As coisas de grande valor são ignoradas e negligenciadas, ao passo que as de valor mínimo, sim, coisas prejudiciais, são procuradas com uma paixão consumidora. Veja o contraste entre a rapidez e o entusiasmo com a indiferença total deles, em relação às coisas de valor eterno. Veja o contraste entre o desejo do bêbado pela bebida e seu descaso pela salvação. Que condição lamentável a da natureza humana; que os homens necessitam ser exortados a não negligenciarem a salvação.

Além disso o homem pode se interessar pela salvação, mas ser cego ou ignorante sobre o caminho da salvação. Talvez seja até um professor de universidade, mas ainda ignorante de como se tornar justo diante de Deus. Paulo escreveu sobre seus irmãos na carne, disse a respeito deles: "Porque lhes dou testemunho de que tem zelo de Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram a justiça que vem de Deus", Romanos 10:2-3. Paulo estava dizendo que eles tinham interesse em ser justos diante de Deus, mas não sabiam o caminho certo para fazer isto. Não sabiam que Deus tinha providenciado justiça para os injustos. Pensavam que tinham de estabelecer ou preparar uma justiça própria. Era isto que tentavam fazer: tornarem-se justos pela própria obediência. Não sabiam que pela obediência de um, Jesus Cristo, muitos seriam justificados. Não sabiam que o fim da lei é Cristo para justiça de todo que aquele que crê", Romanos 10:4. Não podiam ver que Cristo é nossa justiça, e que nossa própria justiça é "como trapo da imundícia".

Um dos quadros mais tristes da Bíblia é mostrado por Isaías. É sobre o idólatra. Isaías descreve como o deus dos idólatras é feito. Um homem planta uma árvore e a chuva a faz crescer. Ele então corta a árvore e com uma parte da madeira faz um fogo para Se aquecer; com outra parte faz outro fogo para cozinhar o alimento e com o resto da árvore faz seu deus, ajoelha-se diante dele e o adora. Então o profeta explica este procedimento estranho dizendo: "o seu coração enganado o desviou; de maneira que não pode livrar a sua alma, nem dizer: Não há mentira na minha mão direita"? Isaías 44:20. Aquele pedaço de madeira que o idólatra segura em sua mão direita é um deus falso; uma mentira, mas o idólatra não sabe disto. Que coisas estranhas os homens do mundo buscam e das quais dependem, a fim de serem aceitos por Deus.

Que a luz dada pelo Espírito possa mostrar a homens e mulheres que Deus não faz acepção de pessoas; que Ele não aceita a pessoa do homem; que homem nenhum é aceito por Deus por causa do que é nem do que faz; que os pecadores são aceitos no Amado e que Deus salva o pecador por amor a Jesus. O único nome no qual os homens podem ser salvos é o nome de pecador; e o único nome pelo qual podem ser salvos é o nome do Senhor Jesus Cristo.

Não podemos ser aceitos por Deus por sermos brancos, pretos, amarelos, ricos, pobres ou ignorantes; cada pessoa tem que ir a Deus como pecador.

 

 

Autor: C. D. Cole
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br