cap 18 - SERMÃO V2

"PARA QUEM IREMOS NÓS"?

"Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna". João 6:68.

Foram estas as palavras de Pedro ao responder a uma pergunta feita por Jesus Cristo aos discípulos. Diante de uma audiência que diminuía, Ele disse aos discípulos: "Quereis vós também retirar-vos?" João 6:67. A multidão volúvel que se O seguira por causa dos pães e peixes, ficava ofendida com a mensagem pregada. Esta mensagem em particular enfatizava a depravação humana. Jesus referira-se com ênfase ao valor inútil da carne. Duas vezes afirmara que "ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer". João 6:44. Dissera que há quem não crê. Por isto muitos dos discípulos se afastaram e não mais O seguiram. Queriam pão, mas não doutrina. Queriam comida, mas não reconhecer que eram pecadores. Queriam ser exaltados, sem notarem que quem se humilha é que será exaltado.

Nosso Senhor estava agindo para tornar verdadeira sua predição de que cada planta que o Pai Celestial não plantara seria arrancada pela raiz. Ele testava a confissão feita pelos discípulos. E para testá-los, usou a Palavra. Foi a Palavra que os mandou embora. A parábola do semeador menciona o ouvinte do terreno pedregoso. Ele recebe a Palavra com alegria, mas na hora da perseguição, por causa da Palavra, a abandona. "Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo tenho dito". João 10:26.

1. O Texto revela a impotência humana. O homem não é auto-suficiente, ele precisa de ajuda. O homem não pode prover para se nem coisas materiais, nem espirituais, nem temporais, nem eternais. O homem está perdido e como a ovelhinha que se perdeu, não consegue achar o caminho de volta para Deus. Tem que haver o pastor (Jesus Cristo) que busca. O homem é pecador e não pode se tornar justo diante de seu Rei ofendido. Tem que haver alguém que o torne justo por seus pecados. O homem precisa de alguém que o busque e o salve.

2. O texto sugere que o livramento está em uma pessoa. Pedro não perguntava: "Para o que iremos?" A pergunta foi: "Para quem?" Ele sabia que a salvação estava numa pessoa. Há muita gente confiando em coisas, tais como: ordenanças, cerimônias, ou até numa igreja, a fim de ser salvo. Estas coisas são boas, mas são substitutos inúteis para o Salvador. Vamos à igreja para adorar não para ser salvos. A igreja é o lugar designado por Deus no qual os salvos estão para servir.

3. As qualificações de Salvador ou a que tipo de pessoa devemos ir. Se a salvação está numa pessoa, então temos que saber quem ela é. Temos que ir a quem possa e esteja disposto a nos salvar.

A pessoa a quem devemos ir deve ser alguém que se compadeça de nós. Deve ser alguém provado em todos os pontos em que somos provados, mas sem pecar. "Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado". Hebreus 4:15. Jesus de Nazaré tem esta qualificação. Ele sofreu sendo tentado e pode se compadecer de nós. A história da tentação de Jesus por Satanás é uma revelação disso.

Deve ser alguém que venceu a tentação sem pecar. Jesus preenche esta qualificação. A história de Sua tentação revela Sua santidade. Toda a astúcia satânica foi usada para fazê-lo pecar. Se quiser saber como Satanás é sagaz, estude a tentação de Jesus. Logo após ser batizado, Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto para ser tentado. A primeira prova apelava para Seu apetite. Após 40 dias jejuando, Jesus estava com fome, e não é errado se alimentar. Por isso Satanás tentou fazer com que Jesus transformasse as pedras em pães e se alimentar. Que mal há nisso? Ele estaria desconfiando da provisão do Pai e fazendo o que lhe agradasse. Mas Ele fora levado pelo Espírito a um lugar onde não havia comida e Jesus devia buscar em seu Pai a provisão nesse lugar. Por isso Jesus respondeu que Deus ia prover o alimento a seu modo. Jesus enfrentou o ataque com o escudo da fé.

A segunda prova foi no plano da fé. Satanás queria que Jesus transformasse sua fé em presunção fanática. Por isso O levou ao pináculo do templo e lhe disse que pulasse, confiando que Deus cuidava dEle. O que havia de errado nisso? É errado confiar em Deus para cuidar de nós no perigo? Não, mas é errado correr riscos só para ver se Deus vai cuidar de nós. Seria o mesmo que tentar a Deus, por isso Jesus respondeu: "Não tentarás ao Senhor teu Deus". Se Jesus tivesse sido levado ao pináculo do templo pelo Espírito e tivesse caído de lá, Deus cuidava dEle. Mas Satanás foi quem O levou lá.

A terceira tentação era pegar um atalho para o poder. Satanás sabia que Jesus estava destinado a exercer poder sobre o mundo. Ele sabia que Jesus era um homem com um propósito. Sabia também que o plano de Deus para seu Filho era uma estrada longa, áspera e difícil até chegar ao poder. A coroa viria após a cruz. Mas Satanás lhe ofereceu o domínio universal se Se prostrasse e o adorasse. Jesus enfrentou este ataque com ordens categóricas para que Satanás se vá e com o lembrete de que somente Deus é digno de adoração. Jesus queria poder, mas não ia consegui-lo pelo jeito de Satanás. Ele tomou a cruz e esperou que Deus lhe desse a coroa.

A pessoa que nos salvar deve ter influência na corte do céu. Deve ser um advogado que saiba pleitear nossa causa. Se tivesse cometido um crime, o que ia fazer? Arranjar o melhor advogado que pudesse, certo? Se fosse inocente do crime de que lhe acusavam, não ia preocupar tanto com questão do advogado.

Como Cristo influencia a corte do céu? Não como alguns advogados fazem na corte humana, ao tentarem derrotar a justiça. Jesus foi até à cruz e satisfez a justiça divina por seu povo e depois apresenta sua morte por eles perante Deus.

A pessoa que nos salvar deve ser alguém que não tenha nenhuma obrigação própria perante a lei de Deus. Por esta razão, um anjo está sob a lei e tem suas próprias obrigações pela obediência. Pela mesma razão nenhum só homem na terra ou no céu pode nos salvar. A pessoa que nos salva deve ser mais do que homem. Isaías 2:22 diz: "Deixai-vos do homem cujo fôlego está nas suas narinas; pois em que se deve ele estimar?"

Conclusão. Jesus Cristo é o único a quem o pecador pode ir a fim de ser salvo. O pecador se encontra completamente impotente para salvar a si mesmo. Nada a não ser Jesus Cristo, pode salvar o pecador de uma condenação justa dada pela lei de Deus. Jesus Cristo, o Filho Eterno de Deus, tornou-se homem, foi tentado de todas as maneiras, viveu uma vida perfeita e santa, morreu, foi sepultado e ressuscitou para salvar o pecador da pena do pecado; subiu ao céu e assentou-se à direita de Deus, a fim de interceder para sempre por seu povo. Jesus Cristo é o Salvador do homem pecador. Creia no Senhor Jesus Cristo e será salvo.

 

Autor: C. D. Cole
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br