Cap 01 - Daniel Parks

Batismo Cristão (mensagem 10):
Creia, Seja Batizado, Seja Salvo (Marcos 16:16)

Recentemente correspondi-me com alguém que acredita ser o batismo necessário para a salvação. Um de seus "textos comprobatórios" foi Marcos 16:16: "Quem crer e for batizado será salvo". Sustenta seu argumento com a fórmula "Crer + Batismo = Salvação". Aplica sua fórmula de maneira errônea.

É uma verdade absoluta que "Quem crer e for batizado será salvo". Jesus Cristo disse isso!

Ironicamente, ainda que meu correspondente considere esse verso como seu "texto comprobatório", não acredita naquilo que o texto declara. É membro de uma "Igreja de Cristo", de atribuição própria, que nega a segurança eterna dos santos. Acredita que alguém pode "ser salvo hoje mas perder-se amanhã". Nega, portanto, a certeza da sua própria fórmula. Acredita, ao contrário, que muitos dos que crêem e são batizados serão todavia condenados. Isso porque acredita no Evangelho errado e confia no Jesus errado. Infelizmente tem caído no erro contra o qual o apóstolo Paulo nos advertiu em II Coríntios 11:4: diz "Se alguém for pregar-vos outro Jesus que nós não temos pregado, ... ou outro evangelho".

O verdadeiro Evangelho do verdadeiro Jesus declara enfaticamente, "Quem crer e for batizado será salvo". Além disso, e por razões que observaremos aqui, é também verdade que "Quem crer e/ou ora e/ou ajunta-se à igreja e/ou participa da Ceia do Senhor será salvo".

Embora a crença e o batismo sejam atos relacionados para o Cristão, não são estritamente coordenados. São atos relacionados no sentido de que ambos estão inseparavelmente ligados um ao outro. O Novo Testamento não permite que um crente no evangelho de Cristo deixe de cumprir o batismo. É sua confissão de fé (I Pedro 3:21) e um ato seu de identificar-se com Cristo na morte, enterro e ressurreição dEle (Romanos 6:3ff), e ele evidencia que sua fé não está "morta" (Tiago 2:17). Por isso, requereu-se que todo crente no Evangelho fosse batizado no livro dos Atos dos Apóstolos. Qualquer pessoa que professasse ser um crente mas se recusasse ser batizada, não deveria ser considerada cristã. Ou melhor, deveria ser considerada rebelde contra Cristo e cuja fé era vã.

Mas esses atos relacionados da crença e do batismo não são estritamente coordenados. Há diferenças importantes entre eles.

Por exemplo, a crença é um ato íntimo do coração pelo qual alguém é justificado para a salvação (Romanos 10:10): "Com o coração se crê para a justiça". Ou seja, no exato momento em que alguém crê no Evangelho e confia em Cristo, é vestido com a justiça imputada de Cristo (Romanos 3:21-26) e salvo da ira que virá. Mas o batismo é um ato visível do corpo que não justifica para a salvação. Ou melhor, é um ato pelo qual o crente justificado confessa sua salvação com a "indagação de uma boa consciência para com Deus" (I Pedro 3:21). Portanto, a cronologia das Escrituras é primeiro crer a fim de ser "justificado pela fé" (Romanos 3:28; 5:1; Gálatas 2:16; 3:24), salvo (Atos 16:31) e então batizado.

Uma segunda diferença entre a crença e o batismo é o fato de que a crença é requerida dos pecadores que desejam ser salvos (Atos 16:31), mas o batismo é requerido de pessoas salvas que já são discípulas (Mateus 28:19; veja Atos 16:33). Portanto, a ordem em Atos 16 é crer, ser salvo, ser batizado.

Uma terceira diferença entre a crença e o batismo é o fato de o batismo ser considerado "obras de justiça que houvéssemos feito" (Tito 3:5), mas a crença não o é. Uma "obra de justiça" é algum ato realizado em obediência a uma lei justa, de uma maneira justa, com um propósito justo de glorificar a Deus. Uma vez que a lei de Cristo em nosso presente texto (Marcos 16:16) requer ambos crença e batismo, ambos são, portanto, "obras de justiça".

Mas há uma distinção muito importante aqui entre as obras da crença e as do batismo. As do batismo são "obras de justiça que houvéssemos feito". (Cristo estabelece o exemplo para nós em Mateus 3:15 sendo batizado "para cumprir toda a justiça"). A crença não é assim! Jesus Cristo declarou, "A obra de Deus é esta: que creiais naquele que Ele enviou" (João 6:29). Ou seja, ainda que a crença seja um ato que nós executamos, ela é "a obra de Deus", não "obras de justiça que houvéssemos feito".

Uma quarta diferença entre a crença e o batismo é o fato de que a crença é o exercício da fé, que é identificada como "dom de Deus" (Efésios 2:8). O batismo nunca é identificado como "dom de Deus". É propriamente a ordenança de Deus para aqueles que já creram para a salvação e, conseqüentemente, tornaram-se discípulos de Cristo (Mateus 28:19).

Uma quinta diferença entre a crença e o batismo é o fato de que o exercício da fé "não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:9). Os crentes, portanto, não se gloriam de sua fé, porque "a jactância ! é excluída ... pela lei da fé (Romanos 3:27; veja exemplos em Marcos 9:24; Lucas 17:5). Por outro lado, ouvimos muitos se gloriarem de seus batismos. Quem são esses vãos que se gloriam? São aqueles que negam a salvação unicamente pela graça através da fé, portanto, negam que a fé é "dom de Deus", e, conseqüentemente, procuram gloriar-se em ser salvos e ser justificados "pelas obras". A vangloria é promovida, não excluída, por suas "leis de obras".

A crença é, mas o batismo não o é, um princípio absoluto a fim de ser salvo. A obra de Deus declara que "sem fé é impossível agradar-lhe" (Hebreus 11:6). Mas o mesmo não é nem dito nem sugerido sobre o batismo.

Repare ainda na última parte do nosso texto: "mas quem não crer será condenado". Aqui o batismo está indubitavelmente ausente porque a crença, não o batismo, é o princípio absoluto para determinar se alguém será salvo ou condenado. Todo aquele que confia em Cristo para a salvação vai para o céu. Mas isso não é verdade para todo aquele que é batizado. O batismo nem garante que alguém vai para o céu nem que não vai para o inferno. Todos os santos do Velho Testamento, incluindo João o Batista e o ladrão arrependido que morreu com Jesus, foram para o céu sem o batismo. Mas Judas Iscariotes e Simão o Mágico foram para o inferno com o batismo.

O crente no Evangelho de Jesus Cristo é salvo ainda antes de ser batizado ! ou ainda que a providência o impeça de ser batizado! Essas são boas notícias para os crentes sinceros do evangelho, que são impedidos de serem batizados por causa de enfermidade física, de encarceramento ou alguma outra situação em que se pode pensar. São boas notícias também para a pessoa que poderia via a morrer no intervalo entre o tempo de sua crença e o tempo do seu batismo, ou ainda a caminho de ser batizada ! ou ainda, enquanto estiver no batistério, esperando para ser batizada!

Considere, por exemplo, uma situação que ocorreu, e que provavelmente não é infreqüente, em estados com regimes proibitivos ao cristianismo. Esses regimes impiedosos têm enviado sua polícia ou soldados para interromper atividades de batismo. Têm detido crentes que esperam para ser batizados e aprisionam-nos permanentemente, evitando assim qualquer batismo. Tais crentes podem, enquanto confinados na prisão, orar, estudar a Palavra de Deus, ter comunhão com Deus e confraternizar-se com os santos ! mas nunca serão batizados.

Há alguma esperança para tal crente ser verdadeiramente salvo?

Deus o Juiz declara que há: "Para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna ... Quem crê nEle não é condenado" (João 3:15, 16, 18).

Mas meu correspondente é obrigado a dizer o contrário. Segundo as crenças da sua seita, o batismo é absolutamente necessário para a salvação e a entrada para o céu. A doutrina deles poderia impiedosamente e para sempre fechar a porta da salvação para tal crente.

Pense nisso! Poderiam relegar a chamas eternas o crente sincero em Jesus Cristo que morreu sem o batismo por causa de falta alguma em si mesmo! Pensam que governos impiedosos podem impedir o propósito de Deus de salvar os crentes!

Oh que rede confusa entrelaçamos,
Quando primeiro pretendemos enganar!

Não obstante, não podemos minimizar a necessidade de batismo na salvação. O batismo é a confissão de fé dos crentes (I Pedro 3:21). Desobedecemos a Cristo e pervertemos Seu Evangelho se deixamos de observá-lo. Os pregadores do evangelho exortam justamente os novos convertidos, "E agora por que te deténs? Levanta-te, e batiza-te" (Atos 22:16). Tendo observado que ambos a crença e o batismo são requeridos na salvação (embora por razões diferentes e com resultados diferentes), e que ambos são atos relacionados mas não estritamente coordenados, e que a crença, mas não o batismo, é o essencial absoluto a fim de ser salvo, consideremos novamente nosso texto: "Quem crer e for batizado será salvo". Considere também que a oração, ser membro de uma igreja e a Ceia do Senhor são, como o batismo, relacionados à salvação (Mateus 6:9-13; Atos 2:41, 47; I Coríntios 11:23ff).

Podemos, portanto, concluir: "Quem crer e orar será salvo"; "Quem crer e congregar com a igreja será salvo"; "Quem crer e observar a Ceia do Senhor será salvo". Mas, em Marcos 16:16, a ênfase está sobre crer, ser batizado, ser salvo!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Um "hino" que não deveríamos cantar:

1. Há uma fonte ! não de sangue-
Que jorra das fontes das água;
E pecadores, imersos nesse fluxo,
perdem toda sua marca e culpa.

2. O ladrão expirante ! não poderia ver
Aquela fonte no seu tempo;
Mas agora eu, tão vil quanto ele,
Fui salvo de outra forma.

3. Desde o dia em que tive o sonho
Pôde a imersão o pecado extinguir,
Minhas próprias obras serão meu tema
Até que eu caia da graça.

4. Querida fonte forte, você não pode suprir,
Às vezes você perde seu poder;
Mas até nossa igreja do Anticristo
Te amará mais.

5. Quando essa pobre, balbuciante e gaga língua
Encontra o silêncio na sepultura,
Espero não cantar uma canção
De como tu não pode salvar.

 

Mensagem de rádio nº 448 ! 3 de novembro de 2002
Seu servo pela causa de Cristo (II Coríntios 4:5),
Autor: Daniel E. Parks, Pastor, Redeemer Baptist Church
2801 Cleveland Boulevard, Louisville, KY 40206
Web Page da Igreja: sovereign-grace.net/redeemer/redeemer_baptist_church.htm
Mensagens: grace-for-today.com/parks.htmsovereign-grace.com/parks.htm
Redeemer Book Service: sovereign-grace.net/redeemer 

 

Autor: Daniel Parks
Tradução: Albano Dalla Pria 11-02 com permissão do autor
Editoração e revisão: Calvin Gardner 11-02
Editoração revista: Albana Dalla Pria 11-02
Correção gramatical: Albano Dalla Pria 5/98
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br