Cap 2 - O LIVRO DE ROMANOS

Capítulos 1, 2, 3

Capítulo 1

Tema: Apostasia dos gentios 

I. Saudação - 1:1-7

Todas as treze cartas do apóstolo Paulo começam com o grande apóstolo. Foi costume naquela época abrir uma carta com o nome do escritor em vez de terminar com ele como hoje em dia. 
Paulo identifica-se como servo e apóstolo e dá toda honra e glória a Deus, dizendo que foi chamado pela graça de Deus e separado ao ministério do evangelho (Atos.13:1-3, Gál.1:15-24). 

Paulo identifica esse ministério como o do "evangelho de Deus" (vs.1), "evangelho do Filho" (vs.9), e "evangelho de Cristo" (vs.16). 

Paulo também diz que estas boas novas são uma coisa nova porque o Velho Testamento prometeu também a vinda do Messias e sua morte e ressurreição. (Nota: 1Cor.15:1-4, onde a palavra "escrituras" indica o Velho Testamento). 

O Cristo que Paulo prega é judeu na carne (vs. 3) mas pela sua ressurreição provado o verdadeiro Filho de Deus (vs.4). 

O propósito da morte e ressurreição de Cristo é trazer todos à obediência da fé (vs.5). O homem que realmente aceita Cristo vai obedecer a Cristo e provar a sua fé. 

Nos versos 6-7 Paulo faz uma descrição dos santos em Roma. Eles também, estão chamados, não para ser apóstolos, mas santos. (Nota que "santo" é um crente vivo.). Estes santos tem o nome de "amados de Deus" e ainda são habitantes da malvada cidade de Roma. Que benção ser "os amados de Deus", igual a Jesus (Mat.3:17). Jesus disse o Pai nos ama como amou seu próprio Filho (João.17:23). Nesta saudação Paulo identifica o autor (Paulo), o recipiente (os santos em Roma), e o tema (Cristo e o evangelho da salvação). 

II. Explicação - 1:8-17

Paulo dá agora uma explicação dupla: 
(1) PORQUE ele está escrevendo, vs. 8-15, e 
(2) O QUE ele está escrevendo, vs.16-17. 

Por longo tempo Paulo desejava visitar os santos em Roma. O testemunho deles espalhou em todo o Império Romano (vs.8; 1Tess.1:5-10) e Paulo teve três razões para visitá-los: comunicar algum Dom espiritual (vs.11), consolar se mesmo (vs.12), e Ter entre ele algum fruto (vs.13). 
Paulo explica que tem sido impedido na sua visita a Roma (vs.13), não pelo satanás (1Tess.2:3-18), mas pelas numerosas oportunidades em outros lugares (Rom.15:23-19). 

Finalmente, Paulo está quase pronto para visitar Roma. Nota que ele está "devedor" (vs.14), "pronto" (vs.15), e não "envergonhado" (vs.16). Tudo indica que Paulo está pronto a começar sua viagem a Roma. 
Terminando a sua explicação Paulo refere-se a Habacuque.2:4, "O justo viverá da fé" e esta fé está em Deus. 

III. Condenação - 1:18-32

Como os gentios caíram na escuridão do pecado. 

1. Os gentios conhecerem Deus (18-20) 
  a. Receberam uma revelação dupla (vs.19) 
    1). "Neles se manifesta (dentro) 
    2). "Deus lhe manifestou (fora) 
  b. Estão inescusáveis (vs.20) 

2. Os gentios não glorificam Deus (21-23
      Indiferença - vs.21 
      Ignorância - vs.22 
      Idolatria - vs.23 

3. Os gentios mudaram a verdade de Deus (24-25) 
Na língua grega "mudar" aqui significa "trocar", ou em outras palavras os gentios trocaram as verdades de Deus para as mentiras do diabo. 

4. Os gentios rejeitaram o conhecimento de Deus (26-32).  Sal.14:1 diz: "Disse o néscio no seu coração: Não há Deus." 

    Note os três julgamentos de Deus:
      1). Deus os entregou a concupiscência e idolatria - vs.24-25
      2). Deus os entregou as paixões infames - vs.26 
      3). Deus os entregou a um sentido perverso - vs.28

 

 Capítulo 2

Tema: A condenação dos judeus 

I. O julgamento está baseado na verdade da Bíblia, não na opinião de homem - 2:1-5 

Podemos ver a atitude do judeu em Lucas.18:9-14 quando o Fariseu disse, "Graça te dou porque não sou como os demais homens.

Paulo agora chama a atenção dos judeus e gentios com as palavras "Por tanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas." Está dizendo que os judeus são responsáveis diante de Deus tanto quanto os gentios. 

È muito fácil descobrir o pecado do nosso próximo mas é um pouco mais difícil admitir que nós, também, temos pecado em nossas vidas. 

Os judeus usaram as mesmas desculpas que encontramos hoje em dia: Eu sou melhor que os piores e não preciso de Cristo. 
  Deus já me ajudou tanto que certamente nunca me condenará. Mas o homem esquece que o julgamento de Deus está baseado na verdade e não na opinião do homem. 

II. O julgamento está baseado nas obras de homens e não na sua posição social - 2:6-15 

A humanidade está procurando a posição social e pagará qualquer preço para obtê-la. Os judeus, na época de Paulo, pensavam que eles ocupavam uma posição especial com Deus. Eles não sabiam a diferença entre SABER a vontade de Deus e FAZER a vontade de Deus. (Rom.2:13). 

Estes versículos (6-15) não nos informam como sermos salvos, mas nos informam como Deus julga a humanidade de acordo com as suas obras aqui neste mundo. Vers.7-8 não estão falando das obras que nós fazemos de vez em quando, mas do propósito das nossas vidas. 

O homem não está salvo pela busca de vida eterna através de qualquer meio, como por exemplo: boas obras, leituras bíblicas, religião, etc... mas ele, realmente está buscando a salvação vai achá-la em Cristo Jesus. 

As palavras "cada um" (vs.6), "toda a alma" (vs.9), e "qualquer" (vs.10), significam que Deus "não faz acepção de pessoas" (Atos.10:34), mas julga cada um de acordo com as suas vidas e obras. 

III. O julgamento de Deus está baseado no evangelho de Jesus e não na religião do homem - 2:16-19

Duas vezes Paulo já referiu-se ao "dia de julgamento" (2:5 e 16), e agora está dizendo francamente que o julgamento vai ser do coração, onde o homem guarda todos os seus segredos. Cristo será o juiz, e a grande pergunta será: "Aceitou ou rejeitou o Salvador?" 

O judeu vangloriou da sua raça e dos seus privilégios religiosos. Por causa da palavra que Deus lhe deu, o judeu sabia a vontade de Deus e tinha uma vida melhor que os gentios. 

Os judeus considerou os gentios cegos, néscios, e crianças (19-20) 

O judeus pensava que ele fosse o favorito de Deus, mas não sabia que todos os privilégios e toda a sabedoria que Deus lhe deu deixou o judeu muito mais responsável diante de Deus. A lei que o judeu pregava aos gentios, ele mesmo desobedeceu. 
O resultado foi que "o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por causa de vós" (vs.24, Isa.52:5, Ezeq.36:21-22). 

Os judeus tinham muita "religião" mas a religião deles foi feita de cerimônia externa e não de realidade interna. 

Os judeus vangloriou-se na circuncisão; mas que adianta uma cerimônia quando não existe obediência à palavra de Deus? Paulo diz que os gentios  não circuncidado, mas que obedece a palavra de Deus é melhor que judeu circuncidado que não obedece a palavra. Paulo escreveu em vers.28, "Porque não é judeu o que o é exteriormente, nem é circuncisão a que o é exteriormente na carne." 

O evangelho de Cristo exige uma mudança interna. "Aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." (João.3:3) 
O homem que nunca aceitou Cristo como Salvador já está condenado diante de Deus, seja gentio ou judeu. "Quem crê nEle não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigênito Filho de Deus." (João.3:18)

 

 

Capítulo 3

Tema: O mundo inteiro é culpado diante de Deus. 

Este capítulo faz a ponte entre a primeira parte do nosso esboço (pecado) e a Segunda parte (salvação). 

Os primeiros 20 vers. (1-20) tratam do assunto da condenação e conclui que: o mundo inteiro, seja judeu ou gentio, está debaixo de pecado. 

Nos vers. 21-31, Paulo introduz o tema de justificação pela fé que, realmente, é o seu tema nos dois capítulos. 

O capítulo 3 é realmente, o jardim onde está plantada a semente da finalidade do livro de Romanos. Nos vers. 1-4, Paulo trata da incredulidade dos judeus que também é o seu assunto nos capítulos de 9-11. No vers.8, Paulo trata do assunto de "viver no pecado" que também é o seu assunto nos capítulos 6-8. (note a semelhança entre 3:8 e 6:1). No vers.21, Paulo trata da justificação pela fé que é também seu tema nos capítulos 4-5. Finalmente no vers.31, Paulo trata o estabelecimento e obediência da lei que é seu tema nos capítulos 12-16 (Note 13:8-14) 

I. Notícias más: Condenação debaixo do pecado - 3:1-20

Paulo faz quatro perguntas as quais ele mesmo as responde: 

1. Haveria vantagem em ser judeu, se o judeu também estivesse condenado? (1-2)

A resposta é SIM, porque aos judeus foi revelado pela primeira vez a palavra de Deus. Se Israel tivesse recebido e obedecido esta palavra teria sido abençoado e salvo pela fé no Messias, e pelos judeus o mundo inteiro teria sido abençoado. Em vez de ser assim, hoje em dia os gentios estão espalhando o evangelho e recebendo as bênçãos de Deus. 

2. A incredulidade dos judeus já aniquilou o poder da palavra de Deus? (3-4) 

A resposta é NÃO, porque a incredulidade do homem nunca pode aniquilar a fidelidade de Deus (vers. 3). Aqui Paulo refere-se a Sal. 51:4, "Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que a teus olhos parece mal, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares." 
O rei Davi confessa seus pecados e reconhece a justiça de Deus em julgá-lo. Ainda em confessar seu pecado, Davi estabelece a justiça de Deus e a verdade da Sua palavra. 

3. Por que não pecar mais para que Deus seja mais glorificado em julgar nossos pecados? (5-8) 

Paulo fez a pergunta e depois deu a resposta: "E se a nossa injustiça for causa da justiça?" (vs.5) 
Os judeus disseram que Paulo ensinou que eles poderiam pecar á vontade, pois Deus poderia aplicar a sua justiça e seu perdão. Paulo responde (vr. 6) "De maneira nenhuma" devemos pecar mais. E Paulo diz mais ainda em vr. 8, que as pessoas que dizem: "Façamos males para que venham bens" merecem a condenação de Deus. 

4. È judeu melhor que o gentio em qualquer sentido? (9-20) 

A resposta é NÃO e nem gentio é melhor que o judeu, porque as duas classes são pecadoras diante de Deus . 
Uma grande mensagem de Romanos é que não há diferença, nem no pecado (3:22-23), nem na salvação (10:12-13). 
Em Romanos.11:32 Deus dá ênfase a este fato, "Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia." 
Paulo agora prova que todo mundo está debaixo do pecado pelos seguintes exemplo:Pecado no caráter do homem (vrs.10-12). Note também Sal.14:1-3. Pecado na conduta do homem (vrs.13-18). Note também Sal.5:9, 140:3, 10:7, 36:1 ; Isa.59:7-8. Os versos 19-20, Paulo conclui que todos que estão debaixo da lei serão condenados diante de Deus. A lei não foi dada para salvar do pecado mas para mostrar o pecado, como um espelho. 

II. As boas novas: Justificação pela fé - 3:21-31 

1. Justificação sem a lei (vs.21) 

O grande exemplo na Bíblia é Abraão. Gen.15:6 diz: "E creu ele no Senhor, e foi-lhe imputado isto por justiça.

Infelizmente, os judeus não seguiram o exemplo de Abraão; note Romanos.9:30-33, "Que diremos, pois? Que os gentios, que não buscavam a justiça, alcançaram a justiça? Sim, mas a justiça que é pela fé. Mas Israel, que buscava a lei da justiça, não chegou à lei da justiça. Por quê? Porque não foi pela fé, mas como que pelas obras da lei. Tropeçaram na pedra de tropeço, como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço e uma rocha de escândalo; e todo aquele que crer nela não será confundido." 

 

Autor: Pr Eduardo Kittle
Digitalização: Daniela Cristina Caetano Pereira dos Santos - Março 2002
Correção gramatical: Guiomar Figueiredo - Setembro 2002
Fonte: www.palavraprudente.com.br