Cap 3 - Estudo Bíblico

A Justificação

Tiago 2:24, "Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé."

Ainda podemos ver o que diz em Tiago 2:24, "Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé." É assim que acaba o seu problema, "o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé". Então é pela fé e pelas obras? Sim, a justificação é pela fé e pelas obras. Mas Paulo disse não aos Romanos que a justificação "é pela fé sem as obras"? Vamos verificar isso em Rom. 3:28, "Concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei". Então Tiago está contra Paulo? E Paulo está contra Tiago? A Bíblia tem contradição?

Por não entenderem a Bíblia, muita gente está pregando o falso evangelho. É que nós não estamos pregando o evangelho de fé mais obras para a salvação. Nós temos o que Paulo disse: "Pela graça sois salvos, por meio da fé, isto não vem de vós é dom de Deus. Não vem da obras para que ninguém se glorie". É este o evangelho que nós cremos.

Não são as obras, minhas obras, que vão me salvar. Então eu não preciso de fazer obras para me salvar. Eu já estou salvo. Cristo disse: "Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve as minhas palavras, e crê nAquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida" (João 5:24).

Três Promessas:

  1. "Tem a vida eterna". Quando? "Tem". No presente, já.
  2. "Não entrará em condenação". Quando? O futuro. Nunca vai entrar em condenação quem crer nEle.
  3. "Mas passou da morte para a vida". Já está em uma nova vida em Cristo. "Quem está em Cristo é uma nova criatura, passou o que era velho, eis que tudo se fez novo". II Cor. 5:17.

Então, eu posso dizer que eu estou salvo, porque crer em Jesus eu creio. Obras perfeitas eu não tenho, e nem vou ter neste mundo. Obediência perfeita eu não tenho. Olha, tenho ouvido certos pregadores dizerem de púlpito, já vi um pelo menos dizer o seguinte, dizer ao auditório: "obedece a Deus para poder salvar-se". Eu estranhei nisso. "Obedece para se salvar"? Não é nossa obediência que nos salva. Quanta obediência Deus vai nos pedir? Se fosse obediência para a salvação Deus exige quanta? 50% de obediência? Teria que ser 100% de obediência não séria? 50% de obediência seria a metade desse tal valor.

De fato que não é nossa obediência: "...não vem de vós..." Quando Paulo disse: "...não vem de vós...", quis dizer não vem da vossa obediência, não vem das vossas obras, do vosso batismo, não vem de nada do que façais, "pela graça sois salvo...". Mas é pelo meio da fé, uma fé firme, mas é uma fé verdadeira, porque Tiago fala em duas fés. Fala de fé morta e fé viva.

Voltando em Tiago 2:26; "Porque, assim como o corpo sem espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta ." Então é fé morta. Existe fé morta, sem obras. Já que não produz obras, não é a verdadeira fé. A verdadeira fé é produtor de obras, mas não são as obras da fé que nos salvam. Quem salva é Cristo mediante a fé. Para ter as obras da fé é preciso ter o que primeiro? É preciso ter fé em Jesus, isto é o salvador. Então só que tem fé em Jesus é que vai conseguir ter perseverança, vai conseguir guardar os mandamentos até certo ponto, pelo menos no ensino dos mandamentos, mas nunca vai ter uma obediência perfeita. Ai de nós se Deus exigi-se obediência para a salvação.

Mas Tiago disse: "Vedes que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé." Agora queira que os irmãos me explicassem isso: Tiago diz que "a justificação é pelas obras e pela fé", e Paulo disse que o "homem é justificado pela fé sem as obras". Como é que vocês me explicam isso? Mas Paulo disse que a justificação não é pelas obras da fé. A justificação é pela fé: "com isso concluímos pois que o homem é justificado pela fé, sem as obras". É sem as obras. Porque Tiago disse "que é pela fé e pelas obras, a justificação."? Então, há saída para isso? Há. Vamos procurar entender a Bíblia, mas a palavra "justificação" em Tiago tem o sentido diferente da palavra "justificação" em Paulo, é isso que precisamos entender.

O que quer dizer Paulo com "justificação"? Paulo esta vendo o crente como que diante de um juiz, diante de um tribunal. Todos pecaram, todos estão em falta, mas são justificados gratuitamente, pela Sua graça e pela Redenção que há em Cristo Jesus. Isso é Rom. 3. Todos estão em pecado, mas são justificados de graça, por causa da Redenção, do preço que Cristo pagou, mediante a fé é claro. Então o que Paulo está dizendo é o seguinte: que o réu que está diante do juiz, que merece condenação, finalmente ele alcança o que? Não a condenação, mas a justificação. Então ele alcança a posição de um justo, e se livra da condenação. Então a palavra "justificação" em Paulo é o mesmo que "salvação". É salvação da condenação do juiz, salvação da condenação eterna. Então como é que o homem alcança essa petição de justo, de salvo da condenação? É pelas obras? De forma nenhuma. É só pela fé diz Paulo, sem as obras.

Sem as obras da lei. Sem nem das obras da lei de Deus salvam. Muito menos as obras que não são da lei de Deus, as obras das leis humanas. Obras nenhuma salvam. "Pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós é dom de Deus, não vem de obras para que ninguém se glorie." Ele é justo, ele é salvo da condenação. Então, a palavra ‘justificação’ usada por Paulo é a mesma de salvação. A salvação da condenação ele disse. O homem justificado é salvo da condenação eterna.

O que significa "justificação" em Tiago então? Em Tiago, a palavra tem um outro sentido meus caros. A palavra "justificação" em Tiago, tem o sentido de a pessoa mostrar que era justa. Ela se revela justa não só pela fé mas também pela suas obras. "Pelos frutos se conhece as árvores", dizia Jesus, nenhuma árvore má dá bons frutos, nenhuma árvore boa dá má frutos, "pelos seus frutos vos os conhecereis" dizia Jesus. Então o que Tiago esta mostrando, é dois tipos de fé. Não é que a salvação é por fé ou por obras. Não é este o assunto de Tiago. O assunto é: existem dois tipos de fé, a fé verdadeira e a fé falsa, a fé viva e a fé morta.

Agora o homem é justificado como possuindo a fé viva, se ele tiver fé mais obras. Agora, sim, vamos entender Tiago. O homem é justificado pela fé mais obras. Mas Tiago não está falando em salvação. Está falando de justificação em outro sentido.

Nós podemos provar isso na Bíblia também, que a palavra "justificação" tem dois sentidos diferentes. Querem ver? Vamos a Salmos 51: 4. Aqui aparece a palavra Justificado, não no sentido de Tiago e não no sentido de Paulo. Querem ver, mostrando que a Bíblia usa a palavra Justificação, no sentido de Tiago também. "Contra Ti, contra Ti somente pequei, e fiz o que aos teus olhos parece mal, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares". O que é que ele disse a Deus, nestas palavras "contra Ti, contra Ti somente pequei", para que sejas justificados, para que tu sejas justificado Senhor, quando falares contra o meu pecado, e quando me julgares, digno de condenação e de castigo, que te mostres puro neste julgamentos? "Contra ti pequei". Ele está confessando a Deus, estou confessando que pequei contra Ti, para que tu sejas justificado quando falares contra mim, contra o meu pecado. Que serás justificado naquele dia que vai falar contra mim.

Mas Deus vai ser justificado? Se justificação significa salvação, a caso Deus precisa de salvação? Deus é salvo. Claro que Ele é salvo do mal do pecado. Ele nunca pecou. Então em que sentido o salmista esta dizendo? No sentido de Tiago. Que Tu te revele justo, que Se mostre justo no Seu julgamento. Não é para alcançar justiça. Deus não precisa alcançar a posição de um justo. Ele não é um pecador. Quem precisa a salvação é o pecador. Deus é O Justo. Por isso que Paulo diz que o pecador alcança a posição de justo mediante a fé e não por obras. E Tiago diz, noutro sentido, que há pessoas que se mostram justas, elas são justificadas, elas se revela como justos, não só pela sua fé, mas pelas suas obras também. "Porque pelos frutos se conhece a árvore".

É isso então. Não há contradição na Bíblia. Eu aceito o que diz Tiago e o que diz Paulo. Cada qual com o seu lugar. O que nós temos que fazer é apreender interpretar o texto à luz do contexto. O assunto de Tiago não é como salvar-se. O assunto de Tiago é qual é a fé verdadeira e qual é a fé morta. Ele está discutindo dois tipos de fé. Esse é o assunto.

A fé verdadeira colocada em Jesus Cristo é uma fé viva. Frutifica em boas obras que agradem a Deus. Boas no sentido relativo, porque obras perfeitas ninguém tem neste mundo. A fé morta, por outro lado, é uma fé não colocada em Jesus, mas fora de Cristo, e que não funciona. É morta. Não produz os frutos daquela fé depositada em Jesus Cristo. Tiago mostra então que há dois tipos de fé, e o homem se revela justo e se declara um justo, um salvo, tendo fé viva ao ostentar em Jesus. E uma fé desta ordem trazendo frutos vai permitir que o homem ostente também frutos de justiça, frutos da verdadeira fé, frutos que glorifiquem a Deus, e que trazem maior galardão aquele que já esta salvo pela fé.

Como se percebe então, não há contradição entre o ensino da Bíblia na epistola de Tiago e o ensino da Bíblia na epistola de Paulo. É preciso compreender que as vezes uma mesma palavra, como palavra "justificação", podem ter sentidos diferentes. Temos que nos atentar para o contexto, para o assunto que se trata, para saber interpretar cada uma destas palavras. Temos na língua portuguesa palavras que podem mudar de sentido conforme o assunto que as encerra. Por exemplo, a palavra "pena". Se eu falar, em questões jurídicas, que um certo homem vai sofrer uma pena de 30 anos de cadeia, a que me refiro? Com a palavra "pena" refiro-me à sentença do juiz. E, se eu disser: eu tenho muita pena desse condenado. Ao que estou me referindo? A minha compaixão. A palavra "pena" ora significará sentença ora significará compaixão. Paulo e Tiago disseram verdades que se completam e não se contradizem.

A Palavra "justificação" em Paulo, tem o significado equivalente ao de libertação da condenação diante do juiz supremo que é Deus. Mediante a fé em Jesus Cristo, o homem é "justificado" livre da condenação eterna. A palavra "justificação" em Paulo é equivalente a "salvação" então. Mas a palavras em Tiago significa, não propriamente salvação, mas a demonstração do caráter da pessoa salva. A pessoa realmente salva demostra-se salva. É justificada como salva, tanto pela sua fé como pelas suas obras.

As obras revelam o tipo de fé, se é verdadeira ou não. O homem é justificado pela fé sem as obras, diz Paulo. Mas ele está usando a palavra justificação no sentido de salvação da condenação perante o juiz que é Deus. Tiago diz que o homem é justificado pela fé e pelas obras. Tiago não esta tratando aqui de salvação pela fé e pelas obras. Está mostrando simplesmente que o homem se demostra justo, ou salvo, tanto pela sua fé ou tanto pelas suas obras, porque as obras decorrem do salvo como conseqüências daquela fé verdadeira em Jesus Cristo.

Pois em Efés. 2:8-10 Paulo já mostrou que a salvação não vem de obras, para que ninguém se glorie. Mas também disse que somos feituras suas, isto é em Cristo Jesus, para as boas obras, as quais Deus nos preparou para que andássemos nelas.

O assunto de Paulo em Rom. 3 é como alcançar salvação. Isto se faz mediante a fé. O assunto em Tiago é como mostrar-se salvo. Então se diz que o homem se mostra, se demonstra salvo, ou é justificado, nesse sentido de revelar-se justo, assim pela fé como pelas obras. Os dois estão certos. Cada um no tema que esta abordando.

Cuidado em não tirar o versículo do capítulo em que se encerra. Examinar sempre o texto à luz do contexto. É preciso saber do assunto de que se trata para compreender-se a palavra em foco. Assim a palavra justificação, tem dois sentido diferentes. Não há contradição na Bíblia.

Há duas verdades: a narrada por Paulo quanto a justificação, e a narrada por Tiago. As duas verdades se completam, não se chocam.

 

Autor: Felix Racy
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br