COMENTÁRIO SOBRE O LIVRO DE APOCALIPSE

POR GERALD S. SMITH

CAPÍTULO 2

Versículo 1 – “ESCREVE ao anjo da igreja que está em Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro:” A mensagem à igreja é direcionada para o pastor e mensageiro da igreja. A autoridade da carta é estabelecida por ter ditada por Aquele que segura o pastor em Sua mão e cuja presença está no meio de Suas igrejas.

Versículo 2 – “Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência,” O Senhor conhece tudo sobre todas as Suas igrejas. Esta igreja estava fazendo boas obras e era paciente em face às tribulações. Olhando por fora, não se veria nada errado. “e que não podes sofrer os maus;” – Eles não suportaram os malfeitores. Esperavam que todos vivessem como crentes devem viver, isto é, obviamente, como deveria ser. “e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos.” – Esta igreja era diligente em aprender e seguir a doutrina verdadeira. Se alguém viesse lhes ensinar, eles o colocavam “na parede”, para descobrir no que creia. Se não concordasse com o que era certo, livravam-se dele.

Versículo 3 – “E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste.” O Senhor os elogiou por suportarem, com paciência, as provações e tribulações. Eles não “desistiam”! Acreditavam que a causa de Cristo era digna de se defender. Nós devemos ter a mesma atitude. O que nós fazíamos se passássemos pelas provações que eles passaram? Será que o Senhor nos elogiara? Nós nos perguntamos como as pessoas reagiriam a tais tempos hoje, se nem agüentam ir a um prédio bonito e confortável adorar o Senhor onde eles sabem que não seriam perseguidos nem prejudicados. O que fariam aqueles que não têm paciência com as crianças nem um com o outro? E aqueles que praticam todo tipo de pecado e não parece se importar? Será que o Senhor elogiaria nossa igreja e diria “bem está, servo bom e fiel?” Mateus 25:21.

Versículo 4 – “Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.” O Senhor os elogiou por seus aspectos bons e agora anuncia suas faltas. A igreja tinha boas características: eram trabalhadores incansáveis e não desistiam com facilidade. Eram sãos moral e doutrinariamente, porém faltava uma coisa muito importante; algo vital. Haviam deixado o teu primeiro amor. Sem dúvida, isto significa o seu amor por Cristo. De tudo o que o Senhor deseja de nós, a primeira coisa é o amor. Esta igreja se tornara igual a Marta, que estava tão ocupada fazendo “coisas” que negligenciou “a única” mais importante: o amor e a adoração que sua irmã Maria expressou. A maioria de nós hoje é como esta igreja. Esfriamos no nosso amor por Cristo. Podemos dizer isto se nos permitirmos lembrar. Lembra-se do regozijo e alegria que lhe encheram o coração, no dia em que recebemos Cristo como nosso Salvador? Sentiu-se como se nunca quisesse pensar nem falar sobre outra pessoa, mas - e agora? Quando um homem se casa este é o primeiro amor, o amor da “lua-de-mel”, que deixa tudo o resto de lado. Ele só quer ela, sua noiva e nada importa, senão estar com ela. Naturalmente há o senso de fervor emocional que o primeiro amor tem e deve continuar queimando profundo embora possa ser expresso dum modo diferente, mas tem que estar lá. Assim é nosso amor por Cristo, devemos dar atenção para este amor, devemos deixá-lO encher as nossas vidas. Ele deve ser o objeto da afeição dos nossos corações. Ele deve ser amado fervorosamente: Ele não se satisfaz com alguns poucos minutos por dia, enquanto a mundo tem o restante. Do mesmo modo como uma esposa ou um marido não ficarão felizes, não importa quantas coisas sejam feitas, se o seu amado não der de volta o amor genuíno, assim também com Cristo, não importa quão ocupados estejamos tentando fazer Sua obra, Ele quer que tomemos do nosso tempo para conversarmos com Ele, meditar nEle, deixar que os pensamentos do nosso coração O alcancem e tenham comunhão com Ele. A felicidade com Cristo deve se basear no primeiro amor, acima de todas as coisas.

Versículo 5 – “Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras;” Deus deu ao homem uma memória para ser usada para Sua glória. Contudo, esta faculdade do homem é depravada como o resto dele e Satanás pode controlá-la. Isto acontece tanto a crentes quanto a perdidos. Se não tivermos cuidado, Satanás vai fazer com que lembremos apenas aquilo que ele quer. Milhares de crentes perdem a alegria da sua salvação e estão prontos a admitir que eram mais felizes quando estavam servindo a Deus fielmente. Por que não se lembram desta condição feliz, meditam nela e voltam a ela? Porque Satanás não quer isto e eles lembrem disso e eles o permitem fazer isto! Assim, o Senhor manda a igreja em Éfeso a se lembrar do seu primeiro estado (amor), lembrar dos dias quando ela estava realmente apaixonada pelo Senhor. “e arrepender-te” – O verdadeiro arrependimento é a evidência interna que assim que alguém nota seu pecado, vai querer se livrar dele. “e pratica as primeiras obras” – O arrependimento genuíno é a evidência que se expressa exteriormente, nas obras. Quem diz que se arrependeu e ainda continua como era antes está somente enganando a si mesmo. Aqui, o Senhor está mandando que volte ao primeiro amor. Quando alguém ama o Senhor, ama-se à Sua Palavra e à Sua obra. Sem dúvida, uma das primeiras obras que resulta do primeiro amor é ganhar almas para Cristo. Muitas igrejas hoje são sãs, no que diz respeito à doutrina; isto é, menos na doutrina de ganhar almas! Eles sabem muito sobre a doutrina da eleição, da igreja, da obra missionária além-mar, etc; mas sabem pouco sobre o testemunho pessoal para Cristo. Uma igreja que é ativamente ocupada na obra de evangelizar os perdidos será a igreja que ama o Senhor. Não pode amar o Senhor sem amar os perdidos e não se pode amar os perdidos sem amar o Senhor. “quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do teu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.” – O Senhor anuncia a conseqüência deste pecado, se recusarem a se arrepender. Qual é o significado e significância de remover o castiçal? Na visão, João viu o Senhor Jesus andando no meio de seus castiçais. Jesus disse que os castiçais eram as igrejas, as quais representavam. A presença de Cristo com os castiçais significava Sua aceitação, aprovação e senhorio das igrejas. Mas, se um dos castiçais fosse removido de Sua presença, isso significaria que aquela igreja não mais estava em Seu favor e assim não seria mais reconhecida como uma de Suas igrejas. A ameaça à Igreja de Éfeso é que, a menos que volte a amar a Cristo como no início, expressando este amor ao fazer as primeiras obras, que certamente envolvem a evangelização dos perdidos; Ele a expulsaria e não mais seria uma de Suas igrejas. Como ponto de interesse, não há evidência de que esta igreja tenha ouvido o Senhor, pois logo depois a cidade inteira foi destruída e ainda hoje é só ruínas. Muitas igrejas hoje têm o nome Batista sobre a porta, quando deveriam ter “Icabô”, pois a glória já partiu há muito. I Samuel 4:21.

Versículo 6 – “Tens, porém, isto: que odeias as obras dos Nicolaítas, as quais eu também odeio.” Quem eram os Nicolaítas ou o que criam e faziam, deixa-se a conjecturas. A Bíblia não dá evidência nenhuma, nem a história secular. Há quem acredite que eram seguidores de Nicanor, um dos primeiros diáconos, Atos 6:5; porém não existe base nenhuma para tal afirmativa. Outros dividem esta palavra composta em partes verdadeiras que significam “conquistar o povo”. Concluem disto a doutrina em questão, um ministério hierárquico que finalmente se tornou na hierarquia romana ou Igreja Católica. Não se pode provar de modo nenhum, mesmo parecendo bom. Uma coisa é certa: o Senhor odeia todas as religiões falsas do mundo inclusive a Católica Romana, com seu sistema, como se ensina claramente em Apocalipse 17. O povo de Deus deve odiar e ficar contra aquilo que o Senhor odeia.

Versículo 7 – “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas;” Esta expressão significa simplesmente que a mensagem às igrejas são para quem quiser ouvir. Alguns não o querem, porque sua audição foi entorpecida pelo canto do mundo. “Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus”. – Havia uma árvore da vida no Jardim do Éden, a qual o homem não tinha permissão de comer após a queda no pecado. Gênesis 2:17: “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. Se Adão tivesse comido dela, viveria para sempre em seu corpo amaldiçoado pelo pecado. Gênesis 3:22. Este não era o plano de Deus para o homem. Deus não queria que vivesse para sempre neste corpo, por isso designou à morte. O homem redimido poderá comer da árvore da vida no céu. Esta é a grande verdade que os redimidos do Senhor terão corpos novos e glorificados, que não foram tocados pelo pecado, e que viverão para sempre na glória do céu. Deus não nos conta muitos detalhes sobre nosso corpo novo, mas sabemos que será imortal, incorruptível, tangível, e não limitado pelo tempo, distância ou qualquer força física, capaz de alimentar-se mesmo sem necessidade, controlado completamente pelo espírito que estará em obediência total ao Espírito Santo de Deus; um corpo adequado e preparado para herdar e desfrutar o céu para sempre. Essa é a promessa para todos quantos venceram em Cristo.

Versículo 8 – “E ao anjo da igreja que está em Esmirna, escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto e reviveu:” Esmirna é uma cidade da Ásia Menor, localizada cerca de 65 quilômetros ao norte de Éfeso. Enquanto Éfeso não passa de ruínas agora, Esmirna é uma grande cidade de quase 200.000 habitantes. Jesus Se apresenta a esta igreja como o Primeiro e o Último e o que estava morto e está vivo. Estas são verdades vitais sobre Cristo. Ele é Aquele que é eterno, o Criador de tudo, Aquele que começou tudo e vai fazer tudo chegar ao fim. Ele é o Todo-Poderoso Deus. Ninguém será salvo que não crê em Sua divindade (que Ele é Deus). A salvação vem somente para aqueles que crêem no Cristo da Bíblia. A fé que crê nEle apenas como um homem bom ou como um deus não salva ninguém. Ele é o Que morreu, mas está vivo. A história do Evangelho é que Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou dos mortos “segundo as escrituras”. Qualquer história que se desviar da Bíblia não é verdadeira e não é o Evangelho (As Boas Novas), porque não pode salvar. Não importa o que se creia sobre Cristo, se não crer que Jesus Cristo morreu na cruz por nossos pecados e que ressuscitou ao terceiro dia; essa fé é vã e não tem poder para salvar.

Versículo 9 – “Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza”. Esta era uma igreja dolorosamente afligida pelos inimigos de Cristo, mas ela foi notada pelo Senhor. Deus tem um propósito ao permitir que Seu povo seja perseguido. Ele quer nos provar e desenvolver em crentes fortes que sirvam de exemplo para o mundo. Essas provações parecem difíceis agora, mas Ele nos galardoará ricamente por tudo que sofremos por Sua causa. “(mas tu és rico)” – Embora estas pessoas tivessem poucos bens do mundo, mesmo assim eram ricas para Deus. Jesus ensinou Seus discípulos a ajuntarem tesouros no céu, porque permaneceriam. É uma vergonha e uma perda terríveis para o povo de Deus ficar tão apegado às coisas do mundo que deixam de considerar as coisas de valor real (as coisas de Deus), deixando assim de ajuntar tesouros no céu. Como é triste quando as pessoas contam seu dinheiro e se gabam do que fizeram; mas são consideradas totalmente pobres nas coisas do Senhor. “e a blasfêmia dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás.” – As pessoas mencionadas aqui tinham tal caráter que se manifestavam como sendo seguidores de Satanás e não do Senhor. Eles reivindicavam ser Judeus, isto é, em religião, mas não eram. Não permaneciam nos ensinamentos da religião judaica, mas eram blasfemos. Quer isto signifique que blasfemavam contra Deus ou contra a igreja, faz uma pequena diferença. Eram inimigos dos dois e compactuavam com o Diabo.

Versículo 10 – “Nada temas das coisas que hás de padecer.” Tais palavras parecem-se estranhas à mente carnal. Por que o Senhor não os livrou destes sofrimentos, se os conhecia de antemão? A resposta, naturalmente, é que Ele tinha algo de valor muito maior para aqueles que os suportassem. O crente não precisa ter medo de perder no fim, se está em Cristo, nem o horror do sofrimento e morte, porque o Senhor pode confortar até mesmo nestes momentos. “Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados;” – Isto não se parece algo a se almejar, mas o Senhor é capaz de tornar adversidade em bênção. Era uma coisa comum para os crentes serem jogados na prisão. Como os crentes reagiriam hoje se aparecesse um anúncio dizendo que iam ser jogados na prisão?! Será que haveria muitos como Paulo e Silas que cantavam e louvavam ao Senhor e contavam como alegria por serem chamados a sofrer por amor de Cristo?! Embora Satanás tivesse permissão de lançá-los na prisão, mesmo assim Deus tinha um propósito ao prová-los. Precisamos ver nossas provações de um ponto de vista espiritual, como Pedro, sabendo que são mais preciosas que o ouro, se forem para o louvor e honra de Jesus Cristo. II Pedro 1:7. – “e tereis uma tribulação de dez dias.” – Provavelmente isto não significa dez dias literais de 24 horas, mas designa um curto período de tempo. “Sê fiel até a morte,” – A implicação é que pelo menos alguns deles seriam perseguidos até a morte, mesmo o tempo para a perseguição fosse curto. Todos os crentes, em todas as épocas, são chamados para ser fiéis e Deus espera que sejam fiéis até o tempo em que morrerem, quer seja de modo violento ou natural. “e dar-te-ei a coroa da vida.” – Há muitas questões sobre as coroas diferentes que serão dadas a servos especiais de Deus, quanto ao serem coroas literais a serem usadas ou se coroas a serem todas dadas a Cristo, como diz em Apocalipse 4:10. Há quem pense que as coroas sejam apenas simbólicas, representando os postos ou posições especiais e privilégios dos santos honrados. Não importa o que sejam, sabemos com certeza que valem a pena nos empenharmos para ganhá-las. Há quem pense que seja errado servir a Deus, tendo os galardões em mente, mas isto é anti-bíblico. Muitas vezes na Bíblia, ela nos urge a considerar os galardões a serem dados como um incentivo para um serviço maior. Os galardões são de valor tremendo e o Senhor os oferece em amor. Ele quer que os tenhamos, por isso, devemos considerá-los e tentar o mais que pudermos alcançá-los.

Versículo 11 – “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano da segunda morte.” A “segunda morte” se refere aos tormentos do inferno. Morte é separação. A morte física é a separação da alma do corpo. A morte espiritual ou a segunda morte é a separação da alma de Deus. O crente não é isento da morte do corpo, a menos que esteja vivo quando Cristo vier novamente. Deus poderia ter feito, assim se Ele quisesse, que todos os crentes podiam ser arrebatados sem passar pela morte física, mas Ele escolheu que morressem. Não é agradável à velha natureza pensar em renunciar à carne na morte, porque isto termina a vida presente. A morte física não é temida pela pessoa de mente espiritual, porque ela sabe que estará imediatamente na presença de Deus e seu corpo jaz no descanso, na esperança da ressurreição. Para a alma, no céu, onde o tempo não significa nada, o corpo que dorme no pó da terra não tem tanta importância para a alma, porque ela tem certeza da esperança da ressurreição. A promessa de não sofrer a segunda morte é para aqueles que vencem (salvos) e ninguém mais (não salvos). A única maneira de se vencer é pela fé, como João afirma em I João 5:4. Os que têm fé em Cristo são nascidos do Espírito de Deus e vencem pelo sangue do Cordeiro. (Apocalipse 12:11). Vencer o Diabo e o mundo significa dizer que eles não têm domínio sobre nós (salvos). Não há promessa de vida eterna para aquele que continua no pecado e na impiedade. A pessoa que não apresenta mudança em sua vida manifesta o fato de que nunca teve a mudança do novo nascimento em seu coração. Há milhões com o nome no rol de membros de igrejas, que foram batizados de um modo ou de outro, mesmo que vivam de acordo com o curso do mundo. A promessa é para os que vencem o mundo e quem não faz isto, não têm razão nem direito para reivindicar uma promessa feita aos que vencem o mundo. Deus falou através de Tiago e disse: (2:14, 18, 27): “Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé (este tipo de fé) pode salvá-lo?”... “Assim também a fé, se não tiver as obras (não produzindo obras), é morta em si mesma. Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras”. Todo homem fará um grande bem se constantemente se julgar, a fim de ver se sua vida se alinha ao que professa. Falar é fácil! Qualquer pessoa pode prestar um culto dos dentes para fora, a prova verdadeira é vencer o mundo. Muita gente é igual às que Jesus mencionou em Mateus 15:8: “Este povo se aproxima de mim com a sua boca e me honra com seus lábios, mas o seu coração está longe de mim”. Lembre-se: a promessa é para aquele que vence, não para aquele que “fala”.

Versículo 12 – “E ao anjo da igreja que está em Pérgamo, escreve: Isto diz Aquele que tem a espada aguda de dois fios;” Pérgamo era uma cidade da Mísia. Nesta época, era a mais esplêndida da Ásia. Templos grandes e esplêndidos foram construídos lá para os deuses gregos e pagãos; Zeus, Atenas, Apolo, etc. A Bíblia se refere a ela como o trono de Satanás. No meio de tudo isto habitou uma das igrejas do Senhor, à qual João recebe instruções para escrever. Jesus Se apresenta como Aquele que tem a espada aguda de dois fios, que sai de Sua boca, como é descrito em Apocalipse 1:16. Suas palavras são tão penetrantes que se assemelham a uma espada aguda. Esta é um meio que sabemos que a Bíblia é a Palavra de Deus, pois nenhuma palavra humana poderia cortar o coração, dividir, convencer e fazer alguém chegar ao arrependimento. Contudo, a palavra escrita, a menos que seja manejada pelo Espírito Santo, não tem poder. É por isto que uma pessoa pode ouvir ou ler a Palavra de Deus e não ser afetada, ao passo que outra ouve a mesma coisa é atingida no âmago do seu coração.

Versículo 13 – “Conheço as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás;” O Senhor conhece todas as tentações e seduções que cercam Seu povo. Pérgamo era uma cidade super-má (perversa) e os crentes estavam sujeitos a muita tentação. Os crentes (salvos) devem ficar separados e puros, não importa onde vivam nem em que circunstâncias exteriores, porém é muito mais fácil viver uma vida separada em alguns lugares do que em outros. Por exemplo: é muito mais fácil para uma criança fazer o que é certo se for criada num lar cristão e tivera vantagem de freqüentar uma escola evangélica. Há comunidades onde o pecado abunda muito mais do que em outras. As pessoas que têm o privilégio de viverem numa sociedade decente deveriam apreciá-la. Contudo, não é impossível levar a vida de modo dedicado diante do Senhor em qualquer lugar. Uns são mais difíceis do que outros. Não devemos morar, de propósito, em ambientes pecaminosos, mas se não houver outro jeito, aqueles que se mantém fiéis devem ser elogiados. “e reténs o meu nome,” – Esta igreja não foi envergonhada de Cristo; ela deixava que todos soubessem que eram Seus seguidores. Eram criticados e muitos escarnecedores zombavam deles, tentando desanimá-los e desencorajá-los, mas ficaram firmes ao nome de Cristo. –“e não negaste a minha fé,” – Fé é a palavra chave na religião cristã. Deus exige que nós creiamos nEle, não obstante as condições externas. Algo que tende a abalar a fé de alguém (salvo) são as dificuldades e perseguições. A pergunta que vem imediatamente à mente é: “por que Deus permita isto, se Ele é realmente Deus?” Não haveria problemas em se crer se tudo corresse às mil maravilhas. Deus quer que confiemos nEle quando as coisas estiverem bem ou mal. – “ainda nos dias de Antipas, minha fiel testemunha, o qual foi morto entre vós”, – Estas pessoas eram fiéis, mesmo diante da morte. Tais tribulações mostram de que metal é feito o povo de Deus. Precisamos perguntar constantemente a nós mesmos: “Como reagiria sob tais circunstâncias?” Seria puro engano se achar que seria fiel em tempos difíceis, se não estão fiéis nos tempos fáceis. Se o povo que finge devotamente amar a Deus agora nos tempos fáceis e se as pessoas que fingem piedosamente amar a Deus agora, porém faltam os cultos da igreja por quase qualquer razão, chegar a sofrer perseguição, se entregaria à covardia. – “onde Satanás habita.” – Mas uma vez a menção da habitação de Satanás é para enfatizar o fato e impressionar a idéia que o Senhor estava ciente disto.

Versículo 14 – “Mas algumas poucas coisas tenho contra ti, porque tens lá os que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaque a lançar tropeços diante dos filhos de Israel, para que comessem dos sacrifícios da idolatria, e se prostituíssem”. O Senhor não deixa passar nossas faltas somente porque temos alguns bons pontos. Esta igreja tinha uma facção nela que defendia os princípios da doutrina de Balaão. Balaque foi Rei de Moabe; ele achava que não ia vencer os filhos de Israel, por isso mandou chamar Balaão, um profeta respeitado de Deus, para que pusesse amaldiçoar os israelitas. Deus não permitiu que Balaão fizesse isto, por isso ele armou outro plano. Ele instruiu Balaque para que fizesse as moabitas tentarem os homens de Israel, casando-se com eles e assim os corrompessem com seus falsos deuses. Deste modo, um povo que não pôde ser amaldiçoado, foi levado a pecar, para que a mão disciplinadora de Deus caísse pesadamente sobre eles. O mesmo acontecia com a igreja em Pérgamo. Alguns deles estavam flertando (brincando ou namorando) com o mundo, este é um dos meios de Satanás de corromper o povo de Deus. Ele consegue que alguns dos crentes de mentes mundanas misturam e associem-se com os de mente espiritual e logo eles também se tornam mundanos. O fermento se espalha rapidamente. Os crentes devem estar sempre vigilantes e afastando-se daqueles que querem impor as práticas mundanas e ímpias sobre eles.

Versículo 15 – “Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio”. Havia uma diferença entre esta igreja e a de Éfeso. A igreja de Éfeso odiava as obras dos Nicolaítas, ao passo que a igreja de Pérgamo agüentava com eles. Qual era esta doutrina não menciona. De qualquer modo eles defendiam doutrina que Deus odiava e eles deveriam ser disciplinados da igreja. Deus não se agrada com igreja nenhuma que não pratica a disciplina quando necessária. Se uma igreja permite a imoralidade, ou ensinamentos ou doutrinas falsos entre seus membros, a igreja inteira brevemente será afetada, ou infectada e vencida pelo erro.

Versículo 16 - "Arrepende-te, pois, quando não em breve virei a ti, e contra eles batalharei com a espada da minha boca". Quando o povo de Deus se encontra numa situação errada, tudo o que pode é reconhecer o seu pecado, arrepender-se dele e começar de modo certo. Deus é amoroso e compreensível e sempre vai nos ajudar quando quisemos fazer o que é certo, mas não pode tolerar o pecado. A ameaça aqui é contra os que defendem doutrinas falsas. O que Ele fará com a espada da Sua boca não é explicado, mas podemos ter certeza que vai ser algo severo. Ele, por uma palavra, criou os céus e a terra, por uma palavra também Ele pode lançar no inferno, por isso ninguém pense que Ele não pode fazer o que está escrito neste versículo.

Versículo 17 - "Quem tem ouvidos, ouca o que o espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei na comer do maná escondido," Quem mostra que realmente é salvo por vencer, têm a vida eterna e será guardado para sempre no céu, satisfeito com o verdadeiro alimento espiritual, que só Deus pode dar. "e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe." – Ninguém sabe o que é esta pedra, pois a Bíblia não explica. Sabemos, porém, que é simbólica de um galardão especial. O galardão terá um significado especial para aquele que o recebe, mas não vai significar nada para os outros. O nome escrito nela pode ser o nome do Senhor ou algo que mostra o novo relacionamento do crente com Cristo. Pelo menos ela mostra a aprovação do Senhor e é um símbolo de Sua aceitação pelo serviço prestado. Deus não pôde descrever completamente os galardões para nós agora, porque não temos a capacidade para entendê-la. Contudo, lá no céu, entenderemos, saberemos e seremos satisfeitos.

Versículo 18 - "E ao anjo da igreja de Tiatira escreve: Isto diz o Filho de Deus, que tem seus olhos como chama de fogo, e os pés como latão reluzente:" O Senhor Jesus se dirige a esta igreja como Aquele que tem olhos como chama de fogo, e os pés como latão reluzente. Isto significa que os olhos do Senhor são penetrantes. Não há nada escondido ou obscuro de Sua visão. Provérbios 15:3 - "Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons". Devemos sempre estar conscientes deste fato. Deixamos de fazer muitas coisas más por causa da presença de um homem, ao passo que os olhos de Deus, que tudo vêem sobre nós, parecem não ter muito efeito. Nossas vidas seriam diferentes se realmente entendemos que Ele está nos observando em todo tempo. Seus pés são como o latão reluzente; latão é o símbolo do julgamento na Bíblia. Latão reluzente, como se tivesse sido refinados numa fornalha (Apocalipse 1:15), fala de julgamento puro e perfeito. O Senhor é o justo juiz e dará a cada um o que merece. Aqueles que são salvos do julgamento dEle por Jesus Cristo serão exaltados, mas aqueles que O recusaram serão pisados por Seus pés. Nada bom ficará sem galardão e nada mal ficar sem castigo.

Versículo 19 - "Eu conheço as tuas obras, e o teu amor, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência". Como o Senhor conhece as obras de cada uma das Suas igrejas, o Senhor declara que conhece as obras desta igreja, seja em que tempo for. Essa igreja é elogiada por seu amor. Uma igreja sem amor não pode honrar ao Senhor nem ser usada para fazer Sua obra. Eles também tinham fé e paciência; qualidades necessárias para se fazer o serviço para Deus. Nossa fé é sujeita a vacilar e desistir se nos tornarmos impacientes. Precisamos seguir os caminhos que o Senhor abre para nós e esperar por Ele para realizar a Sua obra. Ele não tem pressa como nós; nem também se atrasa. Precisamos ficar perto dEle - "e que as tuas últimas obras são mais do que as primeiras". - As obras desta igreja são mencionadas outra vez. A primeira menção diz respeito às obras em geral. A segunda fala das coisas que acabamos de mencionar: amor e serviço, fé e paciência. Estas pessoas cresciam em graça e aumentavam em obras. Isto é muito bom! Devemos nos tornar mais eficientes, quanto mais servimos. Contudo, muitos, querem começar algo e então desistem, quando ficam um pouco cansados ou há uma inconveniência ou a obra se torna pesada. Devemos perseverar e acabar o serviço com tanto ou mais entusiasmo do que quando começamos.

Versículo 20 - "Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam". É impressionante como as igrejas podem ser tão fortes em alguns pontos e ainda tão fracas em outros. Esta igreja tem uma mulher ímpia que se passou por uma profetisa, que ensinava que não havia nada de errado com a fornicação. Os pagãos daquela época nem ligaram para o adultério, mas o praticavam livremente em suas cerimônias religiosas. Isto, obviamente, vai contra os ensinos do Cristianismo, mas podemos imaginar como alguns recém-convertidos podiam voltar para esta prática, especialmente quando uma professora que se dizia profetisa e tinha a permissão da igreja para ensinar, o dizia. Em muitas igrejas hoje, vemos a mesma coisa. A santidade dos votos do casamento é deixada de lado e o povo se divorcia e casa novamente sem nenhuma base bíblica. Pior do que isto é a prática do sexo, antes do casamento, ou de se viver junto, porém isto também em algumas igrejas hoje. Deus somente concorda com esta prática sob os votos do casamento. - "e comam dos sacrifícios da idolatria". – Isto, sem dúvida, se refere ao comer destas coisas como um ritual religioso. Não há nada errado em se comer carne oferecida aos ídolos, a menos que isto ofenda (se escandalize) alguém. (Veja esta explicado em I Coríntios 8:1-13). Assim, esta mulher não apenas ensinava que havia nada de errado no adultério, como também que era certo adorar ídolos.

Versículo 21 - "E dei-lhe tempo para que se arrependesse de sua prostituição; e não se arrependeu". Este pecado, provavelmente, era de muito tempo e o Senhor tinha enviado mais do que um aviso para que se arrependessem. Nenhum pecador poderá dizer no dia do juízo, que não teve tempo de se arrepender. Todos, sem exceção, têm tido bastante tempo para se arrepender, mas não aproveitaram a oportunidade.

Versículo 22 - "Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem de suas obras". A cama se refere a uma condição de grande dor e tristeza. Deus não pode permitir o pecado continuar sem fim. Cedo ou tarde Ele fará Sua mão de correção cair sobre o pecador. Deus é muito gracioso e perdoará os que reconhecem seu pecado e se arrependem. Os que recusam a se arrepender, com certamente não terão direito de reclamar quando Deus trouxer grande tristeza em sua vida.

Versículo 23 - "E ferirei de morte a seus filhos," Esta é uma expressão forte que mostra certeza. Se as pessoas acham que Deus não mata ou destrói suas crianças por causa do seu pecado, estão enganados. Muitas vezes nas Escrituras, Deus avisa que Ele visitará os pecados dos pais nos filhos. Um modo rápido de perder a família é continuar pecando contra Deus. - "e todas as igrejas saberão que Eu sou aquele que sonda os rins e os corações". Deus age de modo que os outros possam aprender uma lição. Não temos desculpa se conhecemos as ameaças de Deus, vemo-las serem executadas e ainda persistimos em fazer as mesmas coisas. Não há modo de esconder alguma coisa de Deus. Ele procura de dentro para fora. Ele conhece toda intenção e motivo. "E darei a cada um de vós segundo as vossas obras". - Ninguém escapará da correção e punição certas de Deus. Deus sabe exatamente o que é certo e é isto que fará.

Versículo 24 - "Mas eu vos digo a vós, e aos restantes que estão em Tiatira, a todos quantos não têm esta doutrina, e não conheceram, como dizem, as profundezas de Satanás, que outra carga vos não porei". Não se sabe quantas pessoas desta igreja foram levadas a cometer esta impiedade, mas a igreja inteira era responsável. Qualquer igreja que permite a prática de pecado em seu meio vai ser corrigida por isso. Deus espera que vigiemos de perto uns aos outros, e quando o pecado for praticado e houve a recusa do arrependimento, então esta pessoa deve ser disciplinada. Por não se por qualquer carga sobre eles, o Senhor provavelmente significa que esta é toda a correção que vão receber e terão que sofrer as conseqüências do que já foi feito.

Versículo 25 - "Mas o que tendes, retende-o até que eu venha". Continue fazendo aquilo que é bom até que Jesus venha.

Versículos 26 e 27 - "E ao que vencer, e guardar até o fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações; E com vara de ferro as regerá; e serão quebradas como vasos do oleiro; como também recebi de meu Pai". Os fiéis do Senhor reinarão com Ele durante o Milênio. Não haverá oposição a Seu governo. Ele será tão poderoso e magnífico que ninguém se atreverá a levantar um dedo. Estes mil anos serão marcados pela justiça e paz em todos os aspectos. Este é a promessa do Pai ao Filho.

Versículo 28 - "E dar-lhe-ei a estrela da manhã". Os galardões dos filhos de Deus são indescritíveis. Aqui, um dos galardões se assemelha à uma estrela da manhã. A alusão é ao planeta Vênus, que aparece nos céus pouco antes do sol nascer. É uma visão bela para quem aprecia coisas assim. O que este galardão é não sabemos, mas com tal descrição, podemos ficar certos que será grandiosamente maravilhoso.

Versículo 29 - "Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas".

 

Autor: Pr Gerald S Smith
Tradução: David A Zuhars Jr.
Fonte: www.palavraprudente.com.br