COMENTÁRIO SOBRE O LIVRO DE APOCALIPSE

POR GERALD S. SMITH

CAPÍTULO 5

Versículo 1 – “E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos”. Já vimos que é Deus Filho que Se assenta no trono no capítulo 4. Contudo, este trono pertence também a Deus Pai. Por isto, nesta cena, João vê Deus Pai sentado e Deus Filho como o Cordeiro que foi morto, mas reviveu. O livro não é igual ao que temos, mas é um rolo. A fim de ler um rolo é preciso desenrolá-lo. Este rolo está escrito por dentro e por fora, mostrando que é completo; nada mais havia para se escrever nele. O rolo estava selado com sete selos. E o modo de selar era tal que o primeiro impedia que o rolo fosse aberto e lido. Quando o primeiro selo foi tirado, podia-se ler parte deste rolo, mas o segundo selo impedia que se continuasse a ler. Os selos eram colocados na extremidade do rolo, em intervalos, de tal maneira que quando o sétimo selo foi tirado, todo o rolo estava desenrolado. O assunto do rolo é redenção. Ele é a escritura da terra e descreve como a mesma vai ser redimida. (1) Um homem podia se vender e ser remido por um parente chegado. (2) Se o marido de uma mulher morresse e ele não tivesse irmãos que pudessem ou quisessem se casar com ela, um parente chegado do marido podia fazê-lo, como Boaz fez com Rute. (3) Se um homem perdesse suas terras, ela podia ser remida por um parente chegado. Levítico 25:25. Boaz também se aproveitou desta lei para comprar as terras de Elimeleque. Rute, capítulos 3 e 4. A redenção em seu alvo completo alcança a eternidade passada e entra pela futura. Deus planejou a redenção da alma dos homens, antes de criar qualquer coisa. Adão foi criado e colocado no Jardim do Éden. Adão e Eva pecaram e morreram espiritualmente. Para que escapassem do inferno e fossem para o céu, era preciso que o preço da redenção fosse pago. Jesus Cristo pagou este preço. O livro com os sete selos é a escritura da terra. Quando Adão pecou no Jardim do Éden, não só perdeu o direito ao Jardim, mas também começou morrer fisicamente. E ainda morreu espiritualmente. Por causa de sua transgressão a terra inteira foi amaldiçoada. Satanás se tornou o deus deste mundo. Não era o plano de Deus que Satanás ficasse para sempre no controle da terra. Ele planejou e foi Seu propósito que Cristo viesse ao mundo a fim de redimir. Ele deu a promessa de vida eterna a Adão e seus descendentes, se cressem no Redentor que havia de vir. Muitas almas já tinham ido para o paraíso, antes de Cristo, o Redentor, chegou, porém a posição deles era segura, pois Deus pode cumprir Seus planos. Cristo veio, morreu e ressuscitou por Seu povo. Ele pagou o preço da redenção com Seu próprio sangue. Quando um remido morre, sua alma é levada imediatamente para o céu, contudo seu corpo fica trás (no chão), mas o preço da redenção também já foi pago pelo corpo. Quando Cristo voltar, Ele ressuscitará o corpo e também levará para o céu. A alma e o corpo serão unidos outra vez. Do mesmo modo que o corpo do homem remido ressuscitará e se adequará para a eternidade, o mesmo acontecerá à terra. O livro selado com os sete selos revela como a terra será exigida de volta e o poder de Satanás, destruído.

Versículo 2 – “E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos?” Adão perdeu seu direito de posse da terra por causa do pecado. Para o homem ter mais uma vez o controle, o preço da redenção teve que ser pago. Isto foi feito por Cristo, o segundo Adão. Agora surge a questão quanto a quem é digno de abrir o livro. Quem tem o direito de controlar e executar o juízo sobre a terra, conquistando-a e exigindo-a de volta?

Versículo 3 – “E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele”. Sob a lei de Deus, como afirma o Antigo Testamento, o único que podia exigir de volta a propriedade perdida era um remidor (parente mais chegado, como no livro de Rute). Procurou-se em todo o céu e a terra por alguém digno para abrir o livro, mas ninguém o era. Anjos, serafins, querubins não podiam, pois não eram parentes do homem. Adão e toda sua raça não podiam, porque todos pecaram e não têm direito nenhum. Adão a vendera ao Diabo há muito tempo.

Versículo 4 – “E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhara para ele”. Porque João chorou? Pensem no que aconteceria se ninguém fosse o herdeiro certo da terra! Imagine todas as profecias sem cumprimento! Como a promessa de Deus ao Seu povo, Israel, se cumpriria? Como o Senhor Jesus reinaria sobre a terra? Se Deus não fizesse o que planejara, não seria mais Deus e o Diabo tomaria Seu lugar. Sem dúvida, há muito o que chorar, se não houver alguém para tomar posse da terra.

Versículo 5 – “E disse-me um dos anciãos: Não chores, eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos”. João recebe a revelação de que há Alguém capaz de abrir os selos e é Alguém que venceu – Jesus Cristo – o Leão da tribo de Judá, a raiz ou ancestral de Davi. Sob a lei de Deus somente um parente chegado podia remir uma propriedade. Boaz usou esta lei ao comprar a propriedade de Elimeleque e casar-se com Rute. (Rute, capítulos 2 e 3). Há também um exemplo a este respeito em Jeremias 32. Cristo tinha o direito legal de comprar a terra, porque é o parente chegado da raça humana. Deus Se tornou homem, a fim de Se qualificar para comprar de volta o que o homem perdera, por causa de sua desobediência. O remidor tinha que ser perfeito. Jesus não podia obter o que o homem perdera se fosse pecador. Podemos ver nisto a necessidade porque Deus Se tornou homem e veio à terra. Sob Sua própria lei, Ele não podia remi-la como o Espírito, porque não era parente do homem. Não podia remi-la como um mero homem, mesmo que fosse perfeito, porque só podia pagar o preço de um homem. Ele tinha que ser o Deus-Homem, tanto homem quanto Deus, a fim de fazer esta redenção.

Versículo 6 – “E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra”. Este Cordeiro é o Senhor Jesus, que é “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, como João o Batista mostrou. Jesus teve que sofrer e morrer, a fim de pagar o preço pelo pecado do homem e isto Ele o fez. Sua morte também fez provisão para a redenção da terra. Não poderia haver tal redenção por ninguém menos que o Cordeiro que foi morto. Hebreus 9:22: “E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão”. Os sete chifres e sete olhos são os sete Espíritos de Deus. O número sete fala da inteireza e perfeição do Espírito Santo. A possessão do Cordeiro destes atributos anuncia a união da Trindade. Pai, Filho e Espírito Santo são um. Cada Pessoa da Trindade possui os mesmos atributos. Quando Jesus esteve aqui, é falado dEle: “Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade”. Colossenses 2:9.

Versículos 7-8 – “E veio, e tomou o livro da destra do estava assentado no trono. E, havendo tomado o livro, os quaro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouros cheias incenso, que são as orações dos santos”. Tomar o livro significa que Aquele que fez é digno de abri-lo. Ele é o herdeiro legal da terra. É por esta razão que há grande regozijo; por existir Alguém que podia exigir de volta a criação inteira, que esta sujeita à escravidão, todos estes milhares de anos. Agora, todas as promessas de Deus serão cumpridas. O grande usurpador, a velha serpente, o diabo, o destruidor será completamente subjugado e haverá justiça na terra inteira. Todas as orações do povo de Deus, do início ao fim, estão registradas no céu. Deus nunca Se esquece de nada. O povo de Deus, durante todos estes anos, orou pedindo livramento do domínio de Satanás, e este pedido é finalmente atendido. O povo de Deus pode parecer, muitas vezes, ser perdedor, aqui na terra, mas isto é o que parece ao homem natural. Todos os crentes de Deus serão vitoriosos; todos vencerão através de Cristo Jesus, nosso Senhor. O salvo nunca deve achar que suas orações, que são designadas pelo Espírito Santo são em vão. Vemo-las aqui como um cheiro suave em vasos de ouro, diante do trono de Deus. Orem crentes, orem!! Quer esteja desesperado ou desanimado, tire um tempo para meditar e contemplar o céu. Conhecer Cristo como Salvador é a coisa mais maravilhosa do mundo. O céu vale muito mais que todas as coisas deste mundo. Os que foram salvos do pecado e da desgraça, embora o mundo os odeie, são os que têm grande ganho. A beleza e o prazer do mundo são temporários; é como bugiganga e latão; parecem lindos para olhar, mas não têm valor real. São as coisas de Deus que são preciosas.

Versículo 9 – “E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o seu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação”. Precisamos nos lembrar de algumas coisas antes de continuarmos com este estudo. (1) O livro com os sete selos é o documento de posse da terra perdido pelo homem no Jardim do Éden. (2) O Cordeiro de Deus é o único que é digno de receber este documento de posse. (3) O abrir o livro ou rolo, vai revelar como a terra vai ser exigida de volta e ficar sob a autoridade do dono legítimo. (4) Jesus, o remidor, pagou o preço da redenção no Calvário. Ele é o Deus-Homem. É Ele quem vai conquistar e colocar todas as coisas sob Seus pés. (5) Acima de tudo Deus quer que saibamos e creiamos que Jesus pagou o preço da redenção, através da Sua morte. Quem nega o sacrifício de sangue de Jesus Cristo condena para sempre sua alma ao inferno. (6) Os remidos de todas as eras passadas estão presentes nesta cena, são representados pelos vinte e quatro anciãos. Prova-se isto pelas palavras do hino que cantam: “de toda a tribo, e língua, e povo, nação”. (7) Este é um hino de redenção. Os quatro e vinte anciãos e os quatro seres viventes se unirão todos neste hino de louvor e adoração. (8) O hino louva a Deus pela redenção da terra e também do homem.

Versículo 10 – “E para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra”. Pelo sacrifício de Cristo, todos os eleitos de Deus são redimidos e tirados da escravidão do pecado, tornando-se reis e sacerdotes para Deus. Que transição tremenda! Os que eram inimigos de Deus e desligados dEle se tornam reis com Ele, pela graça de Deus por meio da fé em Cristo. Sem dúvida, é algo para se cantar!!

Versículo 11 – “E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões e milhões, e milhares de milhares”. Que visão extraordinária! Imagine só! Todos os crentes de Deus, querubins, serafins, seres viventes e anjos sem número, todos reunidos ao redor do trono cantando e louvando ao Cordeiro.

Versículo 12 – “Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças”. O Cordeiro é o centro das atrações. O céu inteiro se centraliza ao redor dEle. Não haverá dúvida sobre quem é o Grande Rei. Todo o louvor e adoração são para o Cordeiro.

Versículo 13 – “E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que estão no mar, e todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e glória, e poder para todo o sempre”. Embora o homem seja apenas uma criatura remida, mesmo assim toda a criação de Deus, cada ser, louva a Deus e ao Cordeiro por sua redenção. Os que pensam que a mensagem da redenção é insignificante ou algo de pouco valor, quanto ao ser crida, é melhor dar uma olhada no céu, com João, e ver o que está acontecendo. O grande tópico de cada conversa e cada acontecimento lá é o sacrifício do Cordeiro de Deus e como Ele pagou o preço da redenção. A rejeição de Cristo como Salvador é o pecado pior possível e um insulto contra Deus. Como o homem é tolo!! O céu inteiro se regozija, para sempre, com a redenção feita por Cristo e o homem tolo se senta, aqui e agora, pensando que é independente, enquanto a morte permanece sobre sua cabeça e o inferno escancara sua boca a seus pés!!!

Versículo 14 – “E os quatro animais diziam: Amém. E os vinte e quatro anciãos prostraram-se, e adoraram ao que vive para todo o sempre”. Sem dúvida, este é um grande prelúdio para abertura do livro que tem os sete selos, mas devemos nos lembrar que é uma ocasião importante. Deus está Se preparando para fazer com que todas as profecias e promessas se cumpram.

 

Autor: Pr Gerald S Smith
Tradução: David A Zuhars Jr.
Fonte: www.palavraprudente.com.br