Culto aos Domingos pela MANHÃ? Sim ou Não?

Seminarista Miguel Ângelo Luiz Maciel

Congregação Batista Regular de Águas Claras

(Afiliada à Igreja Batista Regular da Graça)

Manaus – Am

  

         “E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria, da qual tinha expulsado sete demônios”.- Marcos 16:9

Há certas polêmicas que se inserem no meio eclesiástico fundamentalista, vez por outra, preocupando e gerando certos incômodos entre os irmãos. Muitas vezes são questões tão simples que não compreendemos a necessidade de se estabelecer tais discussões. Em todo caso, devemos sempre reconhecer que somos instruídos pelas Sagradas Escrituras a discernir tudo de forma espiritual (I Coríntios 2:14-16), procurando sempre, com paciência e longanimidade, perseverar na Doutrina de Cristo para que não sejamos achados em falta (II João 8-9).

Recentemente uma de nossas igrejas co-irmãs alterou o horário da Escola Bíblica Dominical, da manhã para à tarde, suprimindo o culto matutino e agregando a própria Escola Bíblica ao culto evangelístico da noite. O fato gerou certo desconforto, por assim dizer, mas levantou certa argumentação entre os irmãos. Seria certo continuarmos com os cultos pela manhã aos Domingos ou poderíamos conformar os horários da igreja ao melhor entendimento geral dos irmãos? Seria fanatismo desejar cultos aos Domingos pela manhã? Fala a Bíblia algo a respeito do assunto? Somos obrigados a manter horários regulares ou devemos alterá-los como e quando for conveniente à assembléia? Poderíamos impor aos irmãos que tem problema de deslocamento, moram longe, ou os que reclamam do calor e do desconforto que sofram em cultos regulares matutinos? Não estaríamos sendo falhos em nosso amor fraternal para com nossos irmãos e irmãs ao exigir tão grande sacrifício?

Seguem abaixo meus pontos de vista sobre o assunto, lembrando aos irmãos que meu objetivo não é atingir pessoas, mas sim defender nossa posição diante das questões levantadas, tendo como foco central honrar e glorificar o nome de nosso Deus, pelo poder de Jesus Cristo, na presença do Espírito Santo.  Não se trata, portanto, de um tratado teológico fino e apurado, pois este conservo que vos escreve sendo o mais rude dentre todos os pregadores, humildemente lhes envia estas linhas. São apenas pequenas observações pessoais que escrevi ao meditar a respeito do assunto.

 

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A MANHÃ DO PRIMEIRO DIA

Amados irmãos, a Bíblia nos diz que:

1.      O Senhor Jesus ressuscitou na manhã do primeiro dia da semana.

 “E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou e removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela...Mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: Não tenhais medo; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucuficado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito.” – Mateus 28:1,2, 5 e 6a.

 “E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.” – Marcos 16:9.

 “E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida.” – Lucas 24:1 e 2

 “E no primeiro dia da semana, Maria madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro.” – João 20:1

Várias são as passagens, e acredito que não exista nenhuma dificuldade para nenhum crente verdadeiro reconhecer isto.

2.      O primeiro anúncio da ressurreição do Senhor deu-se na mesma manhã com alegria e temor.

 “Ide pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos...E, saindo elas pressurossamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos.” – Mateus 28:7a, 8.

 “E, partindo ela, anunciou-o àqueles que tinham estado com ela, os quais estavam tristes, e chorando.” – Marcos 16:10

 “E, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais.” – Lucas 24:9

 “Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos que vira o Senhor...” – João 20:18

 

O QUE A HISTÓRIA DA IGREJA NOS DIZ A RESPEITO DAS CONDIÇÕES EM QUE ADORAVAM OS PRIMEIROS CRISTÃOS

O desconforto enfrentado pelos primeiros cristãos não foram motivos para eles deixarem de prestar culto e adoração ao Senhor.

 “A adoração Cristã, como poderia ser esperado, foi de condição humilde da igreja no período de perseguição.  Ela poderia ser considerada muito simples e poderia ser contrastado fortemente com a pompa da comunhão grega e romana.

Até o fim do segundo século os cristãos realizavam a sua adoração principalmente em casas privadas, ou em lugares desertos, nos sepulcros de mártires, e nas criptas das catacumbas.

Isto tinha como principal motivo a pobreza daqueles irmãos, a condição oprimida em que viviam, o amor deles pela reverência com silêncio e solidão, e a aversão deles a  toda a arte pagã.

Os apologistas freqüentemente afirmam, que aqueles irmãos não tiveram nem templos nem altares (no sentido pagão destas palavras), e que a adoração deles era predominantemente espiritual, independente de lugar e ritualismo.

Pagãos, como Celsus, lançaram mão disto como uma repreensão; mas Orígenes (185~254 dC)  respondeu admiravelmente: ‘A humanidade de Cristo é o templo mais alto e a imagem mais bonita de Deus, e os verdadeiros cristãos são estátuas vivas do Espírito Santo, ao qual nenhum Júpiter de Phidias pode ser comparado.’

Justino o Mártir (110~165 dC) escreveu: ‘Os cristãos se ajuntam onde quer que seja conveniente, porque o Deus deles não é como os deuses do pagãos, limitados ao espaço, mas é invisível e se apresenta em todos lugares.’

Também foram feitos arranjos nas catacumbas que às vezes têm a forma de uma igreja subterrânea. Os primeiros rastros de casas especiais de adoração acontece com Tertuliano (145~220dC) que fala de sua ida à igreja. Seu contemporâneo, Clemente de Alexandria (153~207 dC) é quem primeiro discorre a respeito do duplo significado da palavra ekklesia.

A celebração do Dia de Senhor, em memória da ressurreição de Cristo, data indubitavelmente da era apostólica. Não há nada que possa discordar do precedente apostólico da observância religiosa universal nas igrejas do segundo século. Não há nenhuma voz divergindo. Este costume é confirmado pelos testemunhos dos escritores pós-apostólicos, tais como Barnabas (100 dC), Ignatius (30~107dC), e Justinus o  Mártir (110~165 dC).

Os primeiros cristãos não consideraram o domingo Cristão como uma continuação, mas como um substituto para, o Sábado sagrado judeu. Não obstante, o domingo sempre foi considerado na igreja antiga como uma instituição divina, como distinto de ordenanças divinas que era diretamente e positivamente comandada por Cristo, como o batismo e a Ceia do Senhor.

A observância do Sábado sagrado entre os cristãos judeus cessou gradualmente. Ainda a igreja Oriental para este dia marca o sétimo dia da semana (excluindo só o Sábado sagrado de Páscoa) jejuando, e se levantando em oração; Outros dias tais como a Quarta, e a Sexta-feira, foram dedicados especialmente à comemoração semanal dos sofrimentos e morte do Senhor, e eram observados como dias de orações e jejum. “ (Comentários extraídos dos arquivos do  Christian Classics Ethereal Library at Calvin College.  Last updated on July 23, 2001; Ante-Nicene Fathers The Writings of the Fathers Down to A.D. 325)

Embora possamos deduzir que suas reuniões aconteciam com regularidade pela manhã e noite, não seria de estranhar que o dia todo fosse separado para adoração, começando pela manhã com o partir do pão e indo até a noite (Atos 20:7). O desconforto enfrentado pelos primeiros cristãos não foram motivos para eles deixarem de prestar culto e adoração ao Senhor, ou para ajustarem conforme seu próprio bem-estar, antes enfrentaram a morte e a perseguição demonstrando  com fervor e temor o serviço e o testemunho cristão.

 

ALGUNS MOTIVOS PARA NÃO DEIXARMOS DE IR À IGREJA AOS DOMINGOS PELA MANHÃ

1.      Não permitir que irmãos dêem lugar ao mundo e ao diabo quando deveriam focalizar e se dispor para o serviço cristão. Algumas poucas situações que podem insurgir e afligir os irmãos: Ficar assistindo televisão até mais tarde no sábado à noite ou ter espaço para participarem  de festas e reuniões seculares no sábado à noite, desonrando a comunhão com o Senhor; Poder acordar pela manhã no domingo e ter espaço para ir à balneários, praias, clubes, sítios etc ao invés de irem à igreja para adorar, louvar, orar e aprender; Ficar sem objetivo espiritual nos domingos pela manhã e preencherem o espaço com entretenimento mundano tais como TV, Jornais, etc, dando mal testemunho à filhos, parentes e vizinhos; Enfadarem-se pela falta de trabalho e darem à mente espaço para Satanás e maus pensamentos. Se muito dessas coisas já acontece com os cultos regulares acontecendo aos domingos pela manhã, imaginemos se os mesmos forem extintos? (Ver Gálatas 5:16-17)

2.      Nos diferenciarmos das seitas que não possuem cultos regulares no Domingo pela manhã, mas somente pela tarde e noite tais como os Adventistas, os Mórmons e os Testemunhas de Jeová.

3.      Nos diferenciarmos do herético Movimento de Células que suprimiu os cultos regulares e a Escola Bíblica Dominical pelas chamadas reuniões de discipulados que ocorrem não mais na Igreja mas nas próprias residências. Não seria claro aos crentes que Satanás jaz como arquiteto por detrás de todo este esforço de minar a Igreja e reverenciar os valores e princípios do mundo globalizado que se prepara para o Anticristo?

4.      Continuarmos valorizando a história da igreja, cujos primeiros cristãos sofreram perseguições, foram jogados aos leões, queimados, serrados, massacrados, mas continuaram a testemunhar sem se acomodarem, indisporem ou procurarem ajustar suas dificuldades para terem mais conforto em seu testemunho cristão.

 

ALGUNS  MOTIVOS PARA CONTINUARMOS INDO À IGREJA AOS DOMINGOS PELA MANHÃ

Como Fundamentalista Bíblico, creio que não é nosso propósito irmos à Igreja procurando agradar (ou desagradar) pessoas (Gálatas 1:10). Nosso objetivo é adorar, louvar, exaltar o Senhor Nosso Deus, termos comunhão uns com os outros e testemunharmos do que cremos. A Obra Principal Eclesiástica não é Social, mas Teológica. Portanto, não devemos esquecer o que nos leva a adorar o Senhor aos Domingos pela manhã:

1.      Realizar uma festa espiritual comemorando com alegria e temor, a ressurreição do Senhor Jesus reconhecendo-a como fato histórico, vero e sublime privilégio de termos sido resgatados pelo amor, misericórdia e Graça de Deus.

2.      Anunciar a ressurreição do Senhor Jesus a todos que perecem nas trevas deste mundo.

3.      Ter comunhão eclesiástica no raiar do primeiro dia para honra e glória de nosso Deus.

4.      Aprendermos, em contrição de espírito, da Palavra de Deus pelo ensino criterioso e reverente feito pelos servos de Deus, os Pastores e professores a quem Deus escolheu.

Concordo que o motivo é o mais importante e que, embora não haja nenhuma ordenança direta para realizarmos nossos cultos regulares nos domingos pela manhã, devemos discernir isto de forma espiritual (I Coríntios 2:14-16) não dando lugar à carne e nem ao diabo.

 

CONCLUSÃO

Compreendemos então que constitui para o cristão um verdadeiro privilégio poder adorar ao Senhor em um dia distinto, de forma ordenada e não há nenhuma prerrogativa que torne o culto cristão regular aos domingos pela manhã (ou pela noite bem como nas quartas-feiras, nos cultos de oração), algo pesado, desconfortável ou incômodo. Longas distâncias são, ao contrário, motivos para que irmãos possam até procurar orar, planejar e interessar-se em abrir novos trabalhos e outras pequenas congregações. Olhemos, portanto, para a oportunidade  não para a dificuldade.

Há um hino do cantor cristão que gostamos muito de cantar, cuja estrofe diz:

 “Bem de manhã e sem cessar, vigiar sim e orar.” (162 – Cantor Cristão, Hinário das Igrejas Batistas do Brasil – 3.a Edição)

Eu ousaria fazer uma pergunta final: Quem se sente indisposto em ir à igreja e dá maior importância às dificuldades que ao privilégio? O verdadeiro cristão ou os cristãos de ocasião? Pensemos nisso.

Imagino que se nosso país aprovasse uma lei em que os crentes que continuassem a pregar e divulgar a mensagem da Palavra de Deus, recebessem açoites, muitos deixariam mesmo de querer ser chamados de cristãos. Exceção, claro,  da maioria dos “evangélicos” liberais neo-pentecostalizados que quase mais nada tem a ver com as Doutrinas Bíblicas e o cristianismo Bíblico, e que se ajustariam facilmente, sem nenhum problema ou pudor, e se transmutariam de vez em qualquer outra coisa que não fosse parecida com um Igreja, sem sombra de dúvidas, e arrancariam a página da Bíblia que diz:

 “E, chamando os apóstolos, e tendo-os açoitado, mandaram que não falassem em nome de Jesus, e os deixaram ir. Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus. E, todos os dias, no templo e nas casas, não cessavam de ensinar, e de anunciar a Jesus Cristo.” – Atos 5:40-42

Vede portanto irmãos, que quanto maior nossa dificuldade, maior será nosso privilégio em pregar e anunciar o nome do Senhor Jesus Cristo. E de forma alguma devemos nos deixar abater, seja por distâncias, por aparente fracasso (não devemos medir nosso serviço cristão por resultados mas em continuarmos fiéis à mensagem do verdadeiro evangelho bíblico), seja por calor ou desconforto, ou ordem em contrário. O Espírito Santo continue nos impelindo a viver e pregar o evangelho eterno, custe o que custar.

Em nossa Congregação, com  a Graça de Deus, continuaremos com nossos cultos regulares aos Domingos pela manhã. Deus abençoe a todos.

Em nome do Senhor Jesus Cristo. Amem.

E-mail: michael_angelo7ArrobaYahoo.com

 

Bibliografia Consultada e Recomendada

  1. Bíblia Sagrada, Edição Corrigida e revisada, Fiel ao texto Original. Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil.
  2. Christian Classics Ethereal Library at Calvin College.  Last updated on July 23, 2001; Ante-Nicene Fathers The Writings of the Fathers Down to A.D. 325.
  3. Site Sola Scriptura. http://solascriptura-tt.org
  4. Site Obreiro Aprovado. http://www.ObreiroAprovado.com
  5.  Site Espada do Espírito. http://www.espada.eti.br/