Cap 20 - O ESPÍRITO SANTO

O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO

INTRODUÇÃO

"O que é o batismo com o Espírito Santo?" "Eu deveria buscar esta experiência?" Estas perguntas tornam-se cada vez mais comuns ao passo que muitas igrejas modernas propagam seus pontos de vista conflitantes acera desta doutrina. Com certeza, todo filho de Deus deveria desejar voltar à Bíblia para rever este assunto.

I. O REGISTRO DA BÍBLIA.

A Bíblia não contém tanto sobre o batismo com o Espírito Santo quanto alguns podem supor. Existem vários casos de profecia em que o nosso Senhor batizaria com o Espírito e cumpriu-se um registro desta profecia no livro de Atos. As epistolas doutrinárias do Novo Testamento não ordenam que alguém busque está experiência e, de fato, nunca menciona isso. Isso obviamente ilumina este assunto para aqueles que acreditam que todo crente deve buscar esta experiência.

Procurando o registro na Bíblia deveríamos notar que o Novo Testamento contém cinco menções da profecia em que nosso Senhor batizaria com o Espírito Santo (Mateus 3:11-12, Marcos 1:8, Lucas 3:16-17, João 1:33, Atos 1:4-5). É interessante notar que esta profecia é mencionada uma vez em cada um dos livros históricos do Novo Testamento. 7 (Mateus, Marcos, Lucas, João, Atos)

7 Um erro comum assegurado por muitos professores modernos da Bíblia é a reivindicação que I Coríntios 12:13 refere-se ao batismo com o Espírito. Basta somente alguém ler o verso e a loucura desta reivindicação fica exposta. No batismo com o Espírito:

1) Cristo está fazendo o batismo.
2) O Espírito é o " elemento " pelo qual o batismo termina.


Em I Coríntios 12:13:
1) o Espírito faz o batismo.
2) o corpo de Cristo é o " elemento " pelo qual somos batizados.

O contexto de I Coríntios 12:13 é a igreja local. Pessoas com vários e diferentes dons espirituais são somadas a igreja local que pode funcionar como um corpo. Paulo usa o corpo humano assim como muitos membros para ilustrar como a igreja local opera. O batismo pelo qual os membros são recebidos pela igreja local é obviamente o "batismo nas águas." Isto não pode ser contraditório ao estabelecido em I Coríntios 12:13 aonde o Espírito batiza. Em João 4:1 somos assegurados de que Cristo batizou e o verso 2 vai explicar que o ato atual de batismo foi desempenhado pelos apóstolos. João em sua essência Disse que o batismo foi levado adiante pela liderança e autoridade de Cristo. Igualmente em I Coríntios 12:13 refere-se ao batismo nas águas sendo administrado pela liderança do Espírito. Somente Ele pode, através do novo nascimento, fazer um candidato para o batismo, e somente Ele pode conduzir uma igreja para batizar tal pessoa.

No livro de Atos temos quatro instâncias de grupos que foram batizados com o Espírito Santo. Em Atos 2:1-11, temos um evento que pode ser identificado claramente como batismo com o Espírito (Atos 1:5, 2:33). Também podem ser vistos os eventos de Atos 10:44-46 como um batismo com o Espírito levando em conta as palavras de Pedro para à igreja de Jerusalém (Atos 11:15-17). Asseguramos também os eventos de Atos 8:14-17 e Atos 19:1-7 por serem da mesma natureza. Examinando o registro na Bíblia é fácil notar que em cada caso as circunstâncias eram muito diferentes. O som de um vento impetuoso, as línguas repartidas como fogo somente foram manifestadas no Pentecostes (Atos 2). Em Atos capítulos 2, 10 e 19 eles falaram em línguas mas não em Atos capítulo 8. Em Atos capítulos 8 e 19, o batismo está associado ao colocar as mãos mas em Atos capítulos 2 e 10 não acontece isso. A circunstância em comum em cada caso era o Espírito sendo derramado sobre um grupo, distinto e diferente. Todos os derramamentos foram acompanhados por sinais que confirmaram o recebimento do Espírito Santo por aquele grupo em particular. vamos, agora, examinar o propósito daquele batismo.

II. O "BATISMO", UMA NOVA DISPENSAÇÃO 8 DO ESPÍRITO.

8 A palavra " Dispensação " é usada de diferentes modos em teologia, para explicar melhor estamos usando a palavra de acordo com seu significado primário que é "dispensando ou distribuição."

O batismo com o Espírito foi a dispensação inicial do Espírito pelo poder e bênçãos do Novo Testamento aos vários grupos mencionados nas Escrituras (Lucas 24:49). João Batista ensinou que somente o Messias poderia batizar com o Espírito (Mateus 3:11). Procedeu-se desta forma porque o dom do Espírito tinha que ser comprado para nós pelo Senhor Jesus. O trabalho do Espírito Santo em nossos corações é uma grande parte da salvação por Cristo. A vinda do Espírito foi à prova de que o trabalho remissório por Cristo estava acabado e aceito pelo Pai, e que Cristo Jesus foi glorificado no Céu (Atos 2:33, Gálatas 3:13-14).

Em cada caso de batismo com o Espírito registrou-se que um grupo diferente recebeu esta bênção. Em Atos 2 foi dado aos judeus crentes. Em Atos 8 foram batizados os crentes Samaritanos. Os Samaritanos foram menosprezados pelos Judeus por que eram mestiços. Em Atos 10 os Gentios receberam o batismo com o Espírito. Atos 19 registrou como Ele veio sobre aqueles que sabiam somente sobre o batismo de João.9

 9. Veja a adenda.

III. O "BATISMO" COMO UM SINAL.

O batismo com o Espírito não era apenas uma ação em que o Espírito era dado como também um sinal importante. João Batista afirmou claramente que eles podiam reconhecer o Messias pela sua capacidade de batizar com o Espírito. Como já mencionava, o batismo com o Espírito provou que Jesus era o ressuscitado e glorificado Senhor (Atos 2:33).

Note, agora, que o batismo com o Espírito não só verificou as reivindicações de Cristo como também a autoridade da igreja local. No dia de Pentecostes (o banquete das primícias), reuniram-se judeus de toda a parte o Império romano para adorar a Deus em Jerusalém (Atos 2:1-11). Lá eles encontraram a primeira igreja composta pelos discípulos humildes de Cristo. O Templo judeu que tinha sido a casa do Pai (Mateus 21:13, Mateus 23:38) permaneceu destituído por Deus como um aspecto espiritual. A assembléia Cristã passava a ser a Casa de Deus (I Timóteo 3:15). Comparado à grandeza do Templo de Herodes o pequeno grupo de discípulos não era impressionante. Quem acreditaria que esta pequena assembléia era, agora, o lugar divinamente ordenado?

O batismo desta primeira igreja com o Espírito certamente verificou suas reivindicações. O som do vento impetuoso dava uma evidência audível do Espírito vindo para a igreja. O aparecimento de fogo era um símbolo da presença de Deus. As línguas também eram um sinal para os judeus não convertidos (I Coríntios 14:21-22). Estes sinais deram credibilidade à igreja do Senhor e deixaram os judeus inescusáveis caso eles rejeitassem as afirmações concernentes ao evangelho (Heb 2:1-4).10

10 A autenticação da igreja do Senhor pelo batismo com o Espírito pode ser claramente ilustrada comparando-se a história da igreja com o templo de Salomão.
1) Davi juntou o material para o Templo - João Batista preparou o material para a igreja.
2) Salomão construiu o Templo - Cristo edificou a igreja.
3) Salomão dedicou o Templo com um sacrifício - Cristo redimiu a igreja pelo sacrifício de Si mesmo.
4) Após a dedicação o símbolo da presença de Deus veio manifestar a aceitação do Templo e demonstrando a Sua intenção de habitar nele. Depois da morte de Cristo o Espírito desceu no dia de Pentecostes, manifestando que a igreja era a casa de Deus.

O Batismo com o Espírito em Atos 8:14-17 e Atos 10:44-46 foi o derramamento do Espírito sobre os Samaritanos e os Gentios. Novamente o batismo agiu como um sinal mas dessa vez para os judeus salvos. Isso foi necessário porque até mesmo naquela época os judeus Cristãos limitavam a salvação ao seu povo. O Batismo dos Samaritanos e dos Gentios com o Espírito provou divinamente que eles também poderiam ser salvos e somados às igrejas de Cristo sem que se tornassem prosélitos dos judeus. Isto é visto claramente na defesa de Pedro sobre suas ações antes da igreja de Jerusalém (Atos 11:1-19). Ele usou o batismo com o Espírito em Atos, capítulo 10, como prova que os Gentios foram participantes das mesmas bênçãos que os judeus Cristãos tinham recebido. Se a casa de Cornélio tivesse recebido o Espírito da mesma maneira que nós recebemos hoje nem Pedro e nem a Igreja de Jerusalém teriam sido convencidos de que eles eram participantes das bênçãos do evangelho. Nesta consideração vemos que as línguas não foram apenas um sinal aos incrédulos e não salvos como também aos Judeus que não acreditaram na salvação e no enxerto dos Gentios.

CONCLUSÃO

Concluindo poderíamos resumir alguns dos pontos citados nesta lição e também poderíamos declarar algumas das deduções que podem ser tiradas destes pontos.

1. O batismo com o Espírito foi o derramamento do Espírito sobre vários povos.
2. A dispensação do Espírito foi possível devido o trabalho que Cristo concluiu. Realmente foi Cristo quem fez o batismo (Atos 2:33).
3. O batismo não foi dado diariamente aos indivíduos, mas a um grupo distinto, em um momento distinto.
4. Uma vez terminada esta experiência não se repetiu porque a vinda do Espírito a qualquer grupo era permanente. Os sinais que cercaram o batismo em particular foram suficientes para dar credito a aquele grupo definitivamente (Atos 11:15-18). O autor nunca buscaria por exemplo ser batizado com o Espírito porque os Gentios receberam isto há mais de mil e novecentos anos, como está registrado em Atos, capítulo 10. Isso foi atestado suficientemente através de Sinais naquele momento.
5. Ninguém buscou esta experiência e também não foram estimulados a buscar. O batismo foi dado por Deus em seu tempo. (Veja nos capítulos 8 e 10 de Atos como Filipe e Pedro foram abordados por Deus para um certo trabalho em um momento particular em relação ao batismo).
6. Esta experiência não é possível hoje, a menos que alguém possa provar a existência de uma classe particular o gênero humano que nunca recebeu o batismo com o Espírito. Como os Cristãos judeus, Gentios e Samaritanos já receberam o batismo isto seria impossível.

 

Autor: Pr Ron Crisp
Tradução: Albano Dalla Pria
Revisão e Editoração: Calvin Gardner
Fonte: www.palavraprudente.com.br