Cap 8 - Um Guia de Estudo para o Livro de Gênesis

Gênesis 3:6-24

Introdução

Nestes dezenove versículos nós temos a história da queda do homem e os resultados do seu pecado. Felizmente, a primeira promessa do Evangelho também nos foi concedida. Quão profundamente a natureza e o fruto do pecado são descritos. Que forma condensada, mas esclarecedora a história do evangelho é profetizada. Como nós observamos anteriormente, "somente Deus poderia dizer tantas coisas em poucas palavras".

I. A Concupiscência - versículo 6.

Nos é dito em Tiago 1:15, que a concupiscência ou os desejos ilícitos produzem o pecado. De acordo com I João 2:15-16 todos os desejos pecaminosos são classificados em três categorias. Enquanto Eva estava diante da árvore do conhecimento do bem e do mal, ela se deparou com estas três tentações:

A concupiscência da carne - "a árvore boa para comer".

A concupiscência dos olhos - "a árvore agradável aos olhos".

A soberba da vida - "a árvore desejável para dar entendimento".

A concupiscência da carne refere-se a qualquer desejo que incita alguém a alimentar a natureza sensual da carne (imoralidade, embriaguez, glutonaria, etc.). O fruto deu "água na boca" de Eva, mesmo sendo ele um fruto proibido. A concupiscência dos olhos diz respeito àquelas tentações que apelam para os desejos ambiciosos dos homens de obter e possuir (roubo, avareza, etc.). A soberba da vida refere-se a todas as tentações que apelam para o orgulho pessoal do homem e seu desejo por aplauso ou grandeza.

A concupiscência da carne nos incita a procurarmos satisfação no prazer do pecado, e não no Senhor [Gálatas 6:7-8].

A concupiscência dos olhos nos leva a colocarmos as "coisas materiais" na frente do Senhor [Colossenses 3:15 - ultima frase].

A soberba da vida nos tenta a glorificarmos a nós mesmos ao invés do Senhor [Mateus 23:12].

Com esta análise nós podemos entender melhor a vitória de Cristo sobre suas tentações [Lucas 4:1-13]. Satanás aproximou-se de nosso Salvador pelas três vias, mas ainda assim o Senhor não cometeu pecado. Ele foi bem sucedido aonde o primeiro Adão falhou.

Lucas 4:1-4 - concupiscência da carne

Lucas 4:5-8 - concupiscência dos olhos

Lucas 4:9-13 - soberba da vida

II. O Pecado do Homem - versículo 6.

A. Adão não foi enganado - Enquanto Eva foi enganada pelo Diabo [II Coríntios 11:3] e levada pelos seus desejos, Adão pecou com toda consciência ou conhecimento daquilo que ele estava fazendo [I Timóteo 2:14].

B. A culpa do pecado de Adão - O homem tende a tratar o pecado de Adão como um assunto banal. Na verdade isto foi muito mais que "comer da maçã". Adão tinha uma ordem simples e clara. Ele não possuía uma natureza pecadora para tão facilmente ser inflamada pelo pecado. Deus havia sido bom para ele, e todas as suas necessidades e desejos haviam sido supridas. A conseqüência do pecado tinha sido deixado bem clara. A atitude foi orgulhosa, um total ato de rebelião contra o Deus Todo Poderoso.

C. A queda do homem - Adão foi o representante de toda a raça humana. Nós não somente herdamos a sua natureza pecadora, mas em virtude de ele ser nosso representante, a Bíblia nos diz que nós pecamos em Adão. Neste sentido Adão foi o primeiro tipo de Cristo [Romanos 5:14; I Coríntios 15:22 e 45]. Pois assim como nós pecamos e morremos em Adão, da mesma maneira nossos pecados são pagos e nós vivemos em Cristo [Romanos 5:12-19].

III. O Homem Veste-se a Si Mesmo - versículo 7.

Tão logo o casal pecou, suas consciências já lhes condenavam. Eles pensaram que poderiam se vestir com suas próprias obras e justiças, ao invés da justiça de Cristo tipificada no verso 21 [II Coríntios 5:21]. Bem diferente disso, a única coisa que Cristo amaldiçoou durante Seu ministério terrestre, foi a figueira que só produzia folhas. Isto poderia mostrar o que Deus pensa das obras de religião e profissões de fé aparte do perdão que nós temos em Cristo, e a verdadeira santidade produzida em nós pelo Espírito Santo [Isaías 64:6].

IV. Deus Vai em Busca do Homem - versículos 8-9.

Parece que o Senhor estava acostumado a se encontrar com Adão e Eva para terem comunhão. Que ocasião maravilhosa era esta quando o homem podia caminhar com Deus. Esta comunhão perdida foi restaurada por Jesus Cristo. Deus evidentemente aparecia para Adão em semelhança de homem. Estas aparições no Velho Testamento são chamadas de teofanias, e não devem ser confundidas com a encarnação de Cristo. Quando o Filho de Deus estava encarnado, Ele não somente apareceu na forma de homem, mas, realmente se tornou homem. Ele era então tanto Deus como homem [João 1:1 e 14].

No verso 9, nós temos a primeira pergunta da Bíblia. Deus busca e pergunta sobre o paradeiro de Adão que estava perdido no pecado. É maravilhoso o fato de que a primeira pergunta do Novo Testamento foi de um homem pecador buscando o ultimo Adão, isto é o Salvador [Mateus 2:1-2]. Os homens perdidos necessitam hoje fazer estas duas perguntas: "Onde eu estou como pecador perdido?" e "Onde está o Salvador"?

V. A Destruição do pecado no homem.

Que mudança o pecado imediatamente causou no homem. O pecado que havia transformado um anjo em um demônio, agora fazia a sua obra no homem.

A. O pecado levou o homem a um estado de morte espiritual [Gênesis 2:16-17]. A descrição de Adão após o seu pecado revela alguém alienado de Deus. A alegria e relacionamento com Deus foram perdidos. Todos os homens agora já nascem neste estado e necessitam de uma nova vida em Cristo [Romanos 5:12, Efésios 2:1].

B. O pecado distorceu a imagem de Deus no homem [Gênesis 1:27]. Somente em Cristo isto pode ser restaurado [Colossenses 3:10].

C. O homem, como o Diabo, se tornou um tentador. Satanás pecou e então tentou Eva. Eva tão logo pecou, tentou Adão [vers. 6]. Pecadores são todos tentadores.

D. O homem veio a sofrer de uma consciência culpada [vers. 7].

E. A consciência culpada trouxe medo ao homem. O conceito de medo era desconhecido do homem até a entrada do pecado [vers. 10].

F. O homem ao invés de admitir seu pecado, tentou justificar-se (ver sessão III).

G. O homem, por natureza, devido ao pecado, passou a fugir e se esconder de Deus. A não ser que o Espírito Santo venha a atrair o homem, ele jamais sairá em busca do Senhor [vers. 10, Salmo 14:2-3; João 6:44].

H. Adão e Eva, como todo aquele que peca, cedo aprenderam a dar desculpas. Eva culpou a serpente [vers. 13]. Adão culpou sua mulher e parece ter insinuado que isto realmente foi culpa de Deus [vers. 12]. Miseravelmente esta natureza passou para todos os seus descendentes [Lucas 14:18].

I. Adão e Eva tão logo pecaram já demonstravam que não amavam mais à Deus. O quadro completo de Gênesis 3, revela o medo e o desagrado do homem para com Deus. Esta natureza agora faz parte do todo homem [Romanos 8:7; Romanos 5:10]. Amar a Deus somente é possível para aqueles que receberam o novo nascimento sobrenatural. [I João 4:7].

VI. A Destruição do Pecado na Vida do Homem.

No versículo 11, Adão é levado a juízo perante Deus, e no versículo 16, a sentença começa a ser pronunciada. Embora todos os homens sofram por estarem debaixo deste julgamento, em Cristo nós podemos ser absolvidos através do livre perdão.

A. A Condenação da Mulher - versículo 16.

1. Por causa do pecado, o parto envolverá dor e tristeza. Tanto dar a luz como criar as crianças pode nos trazer muitas tristezas neste mundo pecador. Não tem isto a finalidade de nos lembrar que a nossa natureza pecadora é passada para os nossos filhos na concepção? Ironicamente, foi pela graça de Deus e através do sofrimento do parto, que nosso Salvador veio ao mundo. A maioria dos estudiosos da Bíblia acredita que este é o enfoque de I Timóteo 2:15.

2. O pecado levou a mulher a ter muitas dores em seu relacionamento com o homem. Enquanto a sua liderança deveria ser uma benção para todos, o pecado tem impedido isto. O homem tem usado sua força e posição para trazer miséria à mulher. Note os apuros de muitas mulheres através da história e mesmo hoje em muitos lugares. Felizmente para aqueles que conhecem a Cristo, estes sofrimentos são grandemente reduzidos. No lar onde o homem segue o exemplo de Cristo, a sua "liderança" é uma grande benção para todos [Efésios 5]. Na minha experiência, lares administrados por mulheres que dominam, não são felizes.

B. A Condenação do Homem - versículos 17-19.

Quando Adão pecou, ele perdeu a habilidade de ter domínio total sobre a terra [Gênesis 1:28; Romanos 8:22]. A agricultura se tornou uma batalha contra a natureza. Espinhos, abrolhos, ervas daninhas e pestes crescem com mais facilidades do que as plantações. O trabalho se tornou uma tarefa suada e cansativa. Simplesmente trabalhar para poder sobreviver, exige da maioria das pessoas, labutar duramente e em meio a muitas dificuldades. A vida termina então com a morte física e o retorno do corpo ao pó.

VII. Cristo Levando a Nossa Maldição - Gálatas 3:13

Enquanto nós lemos sobre a maldição sobre o homem, nós somos lembrados de como Cristo completamente sofreu o castigo pelo pecado.

A. Como a mulher sofre dores ao dar a luz, assim o sofrimento do nosso Salvador é descrito como trabalho ou sofrimento [Isaías 53:11].

B. Como a mulher está sob sujeição, assim Cristo se sujeitou a Lei [Gálatas 4:4].

C. Os espinhos foram os frutos da maldição, assim como eles feriram a cabeça do nosso Salvador enquanto os homem debochavam dEle com sua coroa de sofrimentos.

D. Como o suor veio com o pecado, assim Cristo no jardim suou até que seu suor se tornou como gotas de sangue, enquanto Ele se submetia a morte pelos nossos pecados.

E. Tanto o homem quanto a mulher foram amaldiçoados com dores. Nosso Senhor se tornou "homem de dores" [Isaías 53:3] na sua primeira vinda.

F. O pecado termina em morte. Nosso Salvador morreu para que nós pudéssemos viver para sempre.

VIII. A Condenação da Serpente - versículo 14.

Satanás usou a serpente como seu instrumento, e então Deus a amaldiçoou. Nós não sabemos como era a forma original deste animal, mas desde a sua maldição, o homem parece odiá-la e teme-la. Todas as serpentes eram tidas como imundas sob o regime da lei [Levítico 11:42]. Isto não quer dizer que há algo realmente pecaminoso a respeito deste animal. A lei cerimonial acerca da impureza, simplesmente ensinava que nós deveríamos detestar o que vem de Satanás, e a serpente é um símbolo dele como sendo sujo e perigoso. Nos é dito que a serpente "comeria do pó" da terra em que ela se rasteja e caça principalmente no chão. A frase "comer do pó" simbolicamente representa a derrota [Salmo 72:9; Apocalipse 12:7-17; Miquéias 7:17; Romanos 16:20].

IX. O Proto-Evangelho - versículo 15.

Este versículo é conhecido como o proto-evangelho, que significa "o primeiro evangelho". Ele contém a primeira promessa de Cristo e da redenção através dEle. Verdadeiramente o restante da Bíblia pode ser visto como uma progressiva exposição deste versículo. Nós que temos a Bíblia completa podemos ver o quanto esta verdade está implícita e latente nesta pequena profecia.

A. A mulher iria trazer ao mundo alguém que venceria Satanás.

B. Este redentor "nasceria de uma virgem" pois Ele viria da "semente da mulher" [Gálatas 4:4].

C. O Redentor iria sofrer. Não somente Cristo foi moído na sua morte [Isaías 53:5], mas é notável que somente na crucificação seu calcanhar foi ferido.

D. O Redentor seria finalmente vitorioso, pois a idéia ensinada, é que o ferimento no calcanhar não é fatal como é o "esmigalhar" da cabeça. Aqui a ressurreição também está implícita, mas não tão abertamente.

E. Satanás e seus seguidores odiarão o Redentor e o seu povo. [João 8:44; I João 3:15].

F. Satanás iria perseguir o Redentor e o Seu povo. Os estudiosos da Bíblia têm notado o quanto Satanás lutou contra a descendência de Cristo através do Velho Testamento. Quantas vezes Satanás tentou exterminar o povo Judeu como um todo. Ele tentou destruir a Cristo através de Herodes enquanto Ele era ainda um bebê. Ainda hoje os Cristãos são perseguidos e odiados. Mesmo os Judeus ainda são perseguidos por causa do plano futuro de Deus para esta nação [Apocalipse 12:1-17]. Nada disso nos surpreende quando recordamos que o primeiro assassino da Bíblia era um perseguidor religioso [Gênesis 4:8]. Verdadeiramente esta "inimizade" ainda permanece viva.

G. Satanás será completamente derrotado, pois o ferimento na cabeça é mortal. O governo de Satanás será completamente destruído [Hebreus 2:14; Romanos 16:20; Apocalipse 20:10]. Nós não queremos dizer que os santos do Velho Testamento entendiam tudo de Gênesis 3:15 que nós mencionamos aqui. Antes, nós como os santos do Novo Testamento, vemos nesta profecia o broto da promessa, da qual, a flor completa da história da redenção do Messias desabrocharia.

X. Deus Veste o Pecador - versículo 21.

Por diversas razões os estudiosos da Bíblia têm visto nesta passagem um tipo do amor de Deus em enviar Seu Filho para morrer pelos pecadores, para que eles pudessem ser vestidos e aceitos através da justiça de Cristo [Isaías 64:6, 61:10; II Coríntios 5:21; Efésios 1:6].

A. Deus realizou todo o trabalho de fazer as túnicas de peles. Se isso fosse apenas uma questão de conveniência ou conforto, Adão poderia cuidar pessoalmente disso. É claro que há uma aplicação espiritual aqui, ou isso tudo não teria necessidade de ser mencionado. A idéia é que Deus providenciou ao homem algo que ele não poderia providenciar por ele mesmo.

B. Antes que o homem pudesse ser coberto na vista de Deus, um animal deveria sofrer e morrer. A necessidade de se cobrir veio em decorrência do pecado. A cobertura perfeita não poderia ser criada pela obra do homem (folhas de figueira), mas pela morte ou sacrifício de um inocente. Que graça de Deus que nos relembra que a primeira morte física ocorreu não somente como o resultado do pecado, mas também para relembrar que Ele é o Salvador dos pecadores.

XI. O Homem Lançado Fora do Jardim - versículos 22-24.

Após pecarem Adão e Eva foram lançados para fora do jardim. Isto ocorreu para que eles não comessem da árvore da vida e então indefinidamente prolongassem suas vidas. É verdade que aparte de Cristo, uma vida longa aqui na terra seria uma maldição. O homem se sentindo imortal iria de mal a pior. A vida prolongada dos homens antes do dilúvio parece ter aumentado a maldade do homem. Muitas vezes a tirania e a maldade dos homens só terminam quando eles morrem. O homem não pode participar da árvore da vida até que o seu pecado seja extirpado [Apocalipse 22:1-3].

No versículo 24 nós temos a primeira menção dos querubins. Estes misteriosos seres angélicos são sempre vistos na presença de Deus. Havia querubins de ouro supervisionando o propiciatório no Tabernáculo. Eles representavam os anjos que estão ansiosos para olhar para a redenção de Cristo [Êxodo 25:17-22; I Pedro 1:12]. Há muitas coisas a respeito da árvore da vida que nós desconhecemos. Por que ela era necessária ou será novamente no futuro, nós não podemos responder. O que sabemos é que a árvore da vida era um tipo de nosso Salvador. Esta idéia é fortalecida pela presença dos querubins que estão sempre associados à redenção. Vamos procurar trazer os perdidos ao conhecimento de Jesus Cristo, a verdadeira árvore da vida, da qual nenhum pecador arrependido é barrado. Nós podemos ser usados como instrumentos para que os homens venham a Cristo, a fim de eles tenham vida [Provérbios 11:30].

 

Aqueles que estiverem interessados no debate a respeito da evolução versus a criação de Deus, encontrarão bons livros que tratam deste assunto. Homens como Henry Morris, Duane Gish, Gary Parker e A. E. Wilder-Smith têm escrito alguns volumes muito úteis. Estes são apenas alguns dos melhores autores.

 

Autor: Pastor Ron Crisp
Tradução: Pastor Eduardo Alves Cadete 2001
Revisão : Joy Ellaina Gardner 2001
Verificação: Pastor Calvin Gardner 2002
Fonte: www.palavraprudente.com.br