Cap 26 - Um Guia de Estudo para o Livro de Gênesis

Gênesis 19

Introdução

Em Gênesis 19, temos a conclusão da triste história de Ló. Através da vida de Ló nós podemos ver o quanto um filho de Deus pode perder por tomar decisões erradas e por se embaraçar com este mundo. Ele se casou com uma mulher carnal, e vivia em uma cidade ímpia por razões meramente carnais. Ele acabou perdendo sua família, seu testemunho e sem dúvida nenhuma qualquer galardão no céu. Enquanto o exemplo de Ló permanece como um aviso, não podemos esquecer de que ele era um homem justo. Isto faz ele ser um alerta eficaz ainda mais para os santos. Mesmo aqueles que conhecem a Cristo, podem cometer erros e causar muitos danos, se falharem no dever de vigiar e orar. O relacionamento espiritual de Ló com Deus é provado das seguintes maneiras:

A. A Palavra de Deus declara que ele foi um homem justo [II Pedro 2:6-9].

B. Sua alma era afligida e infeliz por estar no meio do mal [II Pedro 2:6-9].

C. No final das contas, Deus castigou e livrou Ló de sua situação tentadora [II Pedro 2:6-9]

D. Ló queria recepcionar e proteger aqueles homens que ele considerava ser justos.

E. Ló repreendeu o ímpio [Gênesis 19:7].

F. Ló acreditou no aviso de Deus e tentou admoestar sua família [Gênesis 19:14].

G. Ló, diferente de sua esposa, se apressou em escapar para fora de Sodoma.

H. Ló orou a Deus [Gênesis 19:18-19].

I. A Porta de Sodoma - versículos 1-3.

No mesmo dia, descrito no capítulo 18, dois anjos vieram à tarde para a cidade de Sodoma. Estes são os mesmos anjos descritos em Gênesis 18:22, e que foram para Sodoma. Como em Gênesis 18, eram vistos como homens comuns. Nas cidades antigas, a porta era o lugar de negócios e ao mesmo tempo de decisões políticas. O fato de Ló se assentar na porta da cidade, nos leva a crer que ele era algum tipo de oficial em Sodoma. É o que parece insinuar o versículo 9.

A verdadeira razão de Ló estar à porta naquela tarde parece ser de procurar viajantes. Talvez ele temia que pessoas decentes e justas passando pela cidade seriam abusadas por não saberem o caráter da cidade. Vendo os anjos, que ele achava ser homens ordinários, ele implorou-os que fossem seus hóspedes. Essas atitudes de hospitalidade e de compaixão representam boas qualidades de Ló.

II. Os Sodomitas - versículos 4-5.

O vil pecado de sodomia recebeu este nome baseado nas ações destes homens. A palavra "conheçamos" no versículo 5, é um eufemismo para o ato homossexual. O versículo 4 deixa claro que a cidade estava saturada com este estilo de vida. Em Romanos 1:24-28, Paulo nos fala da origem deste pecado. Na medida em que o homem se afasta de Deus, a restrição da graça comum é retirada. Quanto mais a sociedade progride no mal, mais este pecado se torna natural. Agora a América, como Sodoma, abertamente declara seu amor a este pecado [Isaías 3:9]. As palavras de Ezequiel 16:49-50 parecem cada vez melhor descrever a nossa nação.

III. O Protetor Protegido - versículos 6-11.

Ló tinha um grande senso de responsabilidade por seus hóspedes, e fez tudo o que ele podia para evitar que os homens de Sodoma prosseguissem em seus intentos. Nesta época os homens se sentiam responsáveis pela proteção daqueles que partiam o pão sob o seu teto. O fato de Ló oferecer as suas duas filhas é chocante e repugnante, e ao mesmo tempo mostra como a mulher era tratada naquela época. A sua tentativa acabou falhando. A multidão ficou irritada e por fim decidiu abusar de Ló. Ele deve ter perguntado a si mesmo, porque ele tinha vindo morar em um lugar como aquele. Somente o poder sobrenatural dos anjos pôde salvar Ló. A cegueira da multidão parece ter sido acompanhada de uma confusão mental. Neste momento Ló deve ter reconhecido a natureza sobrenatural de seus visitantes.

IV. Um Aviso - versículos 12-14.

Deus investigou Sodoma e decidiu que o momento do seu julgamento já havia chegado [Gênesis 18:20-21]. Quando a perversão sexual e a violência se tornam explícitos, o julgamento está próximo. Ló foi avisado para tirar toda a sua família de Sodoma. Suas filhas mais velhas haviam se casado com homens de Sodoma e também viviam na cidade. O seu aviso não foi levado a sério. Aparentemente os genros de Ló não tinham respeito nenhum pelo testemunho dele. O sobrenatural não parecia real para a família de Ló.

V. O Livramento de Ló - versículos 15-16.

Verdadeiramente o Senhor sabe como livrar o justo [II Pedro 2:6-9]. Deus não destruiria o justo juntamente com o ímpio.

VI. A Paciência de Deus com Ló - versículos 17-22.

Nós ficamos perplexos com a estupidez e a lentidão de Ló. Ainda pensando em conforto físico, ele desejou ir para uma pequena cidade em vez de ir para as montanhas. Ele nunca parou para considerar que Deus sabia o que era melhor? Séria normal se ele bastasse com cidades nessa altura. A paciência de Deus é bem evidente neste caso. O Senhor concordou com o pedido de Ló e poupou a cidade pequena por causa dele. Talvez nós deveríamos refletir mais a respeito da paciência de Deus para conosco.

VII. O Julgamento - versículos 23-25.

O julgamento destas cidades permanece como um tipo do julgamento final que Deus exercerá sobre os ímpios [Judas 7]. Mesmo hoje, esta área é um lugar quente e miserável, coberta de escavações de betume. Os restos de Sodoma e Gomorra parecem estar sob o fundo raso do Mar Morto. Toda a área parece ser amaldiçoada por Deus. Vamos nos lembrar que estas cidades têm um encontro marcado com Deus no futuro [Mateus 11:24]. Nenhum julgamento nesta vida é comparável com o julgamento final.

VIII. A Mulher de Ló - versículo 26.

O coração da mulher de Ló nunca deixou Sodoma. Por causa de sua hesitação e demora, ela foi submetida ao julgamento, sendo então coberta com sal e minerais. Ela permanece como um aviso para aqueles que têm o coração dividido entre fugir do pecado e buscar a Cristo [Lucas 17:32]. O verdadeiro convertido se refugia em Cristo [Hebreus 6:18].

IX. O Intercessor - versículos 27-29.

Que contraste! Enquanto Ló estava fugindo da destruição e perdia tudo o que possuía, Abraão observava do seu lugar de comunhão com Deus. Aqui fica evidente a vantagem de ser espiritualmente consagrado. O salvo só tem a perder quando se embaraça com este mundo. Podemos notar também aqui, o poder da oração intercessora. O versículo 29 declara que o livramento de Ló estava ligado ao relacionamento entre Deus e Abraão.

X. A Desgraça de Ló - versículos 30-38.

Que terrível desperdício e prejuízo o pecado produz. A vida de Ló se tornou em um desastre após o outro. Os Cristãos não podem perder a sua alma, mas certamente podem desperdiçar suas vidas e perder suas famílias. As filhas de Ló tinham muitas desculpas para a conspiração pecaminosa que empreenderam. Elas não tinham nenhuma esperança de maridos. Os filhos eram uma proteção para os velhos e sem eles o nome da família desapareceria, pois não haveria descendentes. O pecado delas teve prosseguimento, e foi motivado pela falta de fé de que Deus iria suprir suas necessidades, e também pela ausência de padrões morais. Os filhos deste incesto foram os ancestrais de duas nações (Moabitas e Amonitas) que se tornaram um problema habitual para Israel.

Há muitas lições em tudo isso:

A. A vida que não é vivida de acordo com a direção de Deus, é como desmoronar montanha abaixo.

B. Se nós criamos nossos filhos da mesma maneira que o mundo cria, não devemos nos surpreender se eles aprenderem os caminhos do mundo.

C. A embriaguez é um grande pecado que abre a porta para pecados ainda maiores.

D. O fruto da vida de um Cristão carnal freqüentemente produz muitas tentações e provas para aqueles que estão tentando obedecer a Deus. Tal comprometimento deixa muitos "Moabitas e Amonitas" em torno daqueles que no futuro servirão a Deus, e que com certeza, terão o objetivo de impedi-los.

 

Autor: Pastor Ron Crisp
Tradução: Pastor Eduardo Alves Cadete 2001
Revisão : Joy Ellaina Gardner 2001
Verificação: Pastor Calvin Gardner 2002
Fonte: www.palavraprudente.com.br