Estudo 7 - MICELÂNEA

A Internet e as mídias Sociais - Caindo na Rede

A Internet e as mídias sociais - caindo na rede

Introdução:

Há algum tempo atrás, tive a oportunidade de falar em um encontro de jovens em nossa igreja sobre esse assunto. Procurei alertar sobre certos “probleminhas” que costumam acontecer na utilização da Internet. Chamei aquela palestra de “Caindo na Rede”, fazendo uma brincadeira para chamar a atenção para uma coisa séria, usando como ilustração os peixes, que enroscados nas redes dos pescadores, acabam morrendo por isso.

Tenho visto que os pescadores de homens (não os enviados por Jesus) têm arrastado muitos nas suas redes. Jovens e adultos também. Mas, é claro, esse assunto atinge mais aos jovens. Essa geração teen praticamente não vive (ou acha que não pode viver) sem os aparelhos eletrônicos de comunicação (principalmente os computadores e celulares).

Isso tem feito alguns irmãos pensarem que é preciso voltar a esse assunto que se tornou tão relevante nos nossos dias. Espero que os jovens, adolescentes e pré-adolescentes de nossa igreja, assim como seus pais, compreendam a importância desse assunto e busquem aplicar a Palavra de Deus a ele, sem preconceitos ou paixões exacerbadas, mas com moderação, equilíbrio e temor a Deus acima de tudo. Vamos ao assunto.

O que é uma “Rede Social”?

          Quando fazemos essa pergunta, tenho a certeza de que o que vem à mente da maioria de nós é aquilo que usamos para interagir com outras pessoas na internet. Certo? Mas, talvez você se surpreenda ao saber que as redes sociais já existiam antes da internet.  Acreditem jovens: havia vida na terra antes da internet! Deus criou o homem muito antes dela, e as pessoas interagiam antes dessa grande invenção.

Uma Rede Social é, na verdade, qualquer coisa que envolva pessoas interagindo e se relacionando. A ideia de uma rede social na Internet vem desses outros tipos de redes sociais que já existiam. As REDES COMUNITÁRIAS que agrupam pessoas com um mesmo interesse em favor das necessidades da comunidade de um bairro, ou REDES PROFISSIONAIS que reúnem pessoas de uma mesma formação profissional para discutir e defender questões técnicas ou do interesse daquela categoria, por exemplo, são tipos de redes sociais. Os encontros mantidos por esses grupos para discussão de determinados temas são chamados muitas vezes de “fóruns”, o que certamente você também já viu ou ouviu na internet.

 

 

 

Mas afinal, o que é a Internet?

 Como vimos, redes sociais já existiam em outras formas antes de surgir a “Arpanet”. Você pode estar perguntando: o que é essa tal de “Arpanet”? Estranho, não é? Mas, na verdade, esse era o nome original daquilo que hoje conhecemos como “internet” ou, simplesmente, “net”. Ela foi criada em 1969 e ligava apenas quatro computadores de universidades dos Estados Unidos e, por um bom tempo, serviu apenas para fins acadêmicos.

Só em 1988 (quase vinte anos depois), o Brasil conheceu a Internet, que talvez nem pudesse ainda ser chamada de “rede mundial de computadores”, como hoje ela é definida.  Ela só era utilizada para auxiliar em pesquisas universitárias e de uso bastante restrito. Só em 1995 a Embratel obteve autorização para comercializar o seu uso e colocá-la à disposição da população em geral (isso é, para os poucos que podiam pagar por isso).

E para que ela serve?

A partir daquela época (1995), aos poucos, fomos entrando para o grupo das pessoas que são chamadas hoje de “internautas”. “Navegando” pela rede, contatando pessoas conhecidas ou desconhecidas, do Brasil e de outras partes do mundo (por salas de bate-papo, fóruns, e grandes redes sociais), trocando correspondências (e-mail), explorando páginas de todo tipo, pagando contas, fazendo compras, baixando programas, pesquisas e até trabalhando (tudo “on-line”), nos tornamos um dos países que mais utilizam computadores e mais apaixonados pelas mídias sociais. A pesquisa acadêmica e científica que deram origem à internet talvez sejam os motivos que menos levam as pessoas a utilizá-la.

Até os jornais foram afetados pelo crescimento da Internet, tendo que reduzir a impressão de jornal em papel e usar mais o meio eletrônico para fazer o seu trabalho. Aos poucos, as próprias mídias sociais da internet foram tomando lugar desses jornais como fonte de informação. Muitas vezes, hoje em dia, um jornal só “repica” (repete) a informação que já foi dada por alguém, seja ele o próprio envolvido (alguma personalidade política, um artista, atleta ou coisa assim) por meio do Twitter ou Facebook, por exemplo.

Na Internet, tudo que podemos fazer em um computador pode ser compartilhado com qualquer outro computador, em qualquer lugar do mundo. Via cabos ou satélites, palavras escritas, sons e imagens podem ser transmitidos para todo o mundo e para qualquer pessoa. Isso pode ser muito bom, mas também deve inspirar em nós mais cuidado naquilo que vemos ou enviamos por ela. Podemos ter muita informação nos sítios (sites) onde são armazenados filmes, músicas, livros, estudos, artigos, fotos, jogos, notícias, etc. Encontramos coisas engraçadas ou tristes, sérias e graves; imorais ou edificantes; úteis ou o “suprassumo das futilidades”. Enfim, o mundo está ao nosso alcance. Muitas vezes, basta um toque com o nosso dedo no “mouse” ou no teclado para trazermos alguma coisa daquelas mais fantásticas ou mais grotescas do mundo para nossa casa e nossa vida, ou para enviar algo nosso para o mundo, e que, muitas vezes, não tem mais como ser refreado ou voltar atrás.

Por enquanto, gostaria que parássemos para pensar justamente nessa questão que, acredito, vai dar sentido a tudo que ainda vamos estudar, e afetar o modo como vamos agir em função disso tudo.

Como dissemos a pouco, “O MUNDO está ao nosso alcance”. Isso é uma verdade! Vi muitos pastores, antigamente, exortando sobre a TV, porque ela “trazia o mundo para dentro dos nossos lares”. Isso também era uma verdade e o é ainda. Mas a internet e as suas mídias sociais não só trazem o mundo para dentro dos nossos lares, como também levam nossos lares ao mundo. Um mundo que nem sempre (ou quase nunca) conhecemos.

Com a TV, tínhamos que ver o que estava ali, e a família estava junto, em boa parte do tempo, dando mais oportunidade para que alguém verificasse se alguma coisa ali não era boa. Já, na internet, temos uma infinidade de possibilidades, sem controle e sem censura. O uso do computador e da internet, geralmente é individual. Crianças e jovens estão navegando trancados nos quartos ou em algum outro lugar, e seus pais nem sabem o que eles estão vendo ou fazendo. Com quem estão falando? O que estão lendo, ouvindo ou assistindo?

Precisamos ter um “filtro” para refrear o que há de mal nesse mundo que está tão ao nosso alcance, para que ele não a venha nos seduzir de um modo que sejamos arrastados por ele.

 Devemos nos lembrar do que a Bíblia nos diz:

Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (1 João 2:15).

          Não podemos nos apegar ao mundo ou às coisas que ele tem a nos oferecer. Certamente há coisas boas nesse mundo, mas nem todas elas são do agrado de Deus. Na verdade, Satanás sabe muito bem infiltrar coisas perniciosas em quase tudo, a fim de ofender a Deus e nos levar a fazer isso também. Quase tudo nesse mundo está contaminado por esse veneno da serpente, lá do Éden, e a consciência disso deve nos fazer mais alertas.

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas EU NÃO ME DEIXAREI DOMINAR POR NENHUMA” (I Coríntios 6:1).

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, MAS NEM TODAS EDIFICAM” (I Coríntios 10:23).

 

 

Descrição: http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTYE312lmX3tagI2e_LVRBpXnPIm5jLKvOzMK2CeNSt7xzgKuDrRQ

As Mídias Sociais

          No mundo da internet, existem variados tipos de sites e páginas. Existem aqueles que são de utilidade pública, destinados ao atendimento e serviços à população (Ex: Receita Federal, prefeituras, Previdência Social); sites empresariais para divulgação ou comercialização de seus produtos e serviços; e outros que servem para divulgar ideias ou proporcionar lazer. É nesse último tipo que encontramos as chamadas mídias sociais. O propósito delas é de estabelecer comunicação entre pessoas (do inglês “media” = “meio de comunicação”).

Por meio delas, as pessoas podem compartilhar ideias, através dos blogs (publicações editoriais) e microblogs (como o Twitter); imagens, fotos e vídeos (Flickr, Picasa, Youtube, etc), músicas (Last.fm, Youtube e outros), conhecimentos (Wikipédia e outros Wikis), etc.

As Redes Sociais

As redes sociais são mídias sociais onde podemos ir além de compartilhar essas coisas. Nelas, nós podemos interagir com outros, conversar e trocar informações de forma virtual. Elas se tornaram muito populares à medida que evoluíram, agregando cada vez mais opções como: bate-papo on-line, chats com áudio e vídeo, compartilhamento de textos, músicas, fotos, vídeos, jogos, formação de grupos, reuniões em videoconferência e outras novidades que vão surgindo.

Descrição: http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSUef4wxx24DfO74HbMsDmaChbSk1eeYNJ3cd72KSH8Hv3YNd1jSão Redes Sociais, por exemplo, o Facebook, Google+, MySpace, Orkut, Hi5, Badu, LinkedIn (profissional), Last.fm (música), Flickr, Youtube, Second Life (realidade virtual),  Twitter (rede social e  microblogging),  Wikis (compartilhamento de conhecimento) e várias outras. Originalmente, elas foram criadas com algum propósito específico, mas a maioria teve seu uso diversificado e adulterado por conta dessa agregação de serviços ou pela má utilização dos usuários.

Observe como pessoas fazem o uso errado de certas mídias. O Twitter, por exemplo, que foi criado para expor ideias, pensamentos interessantes e curiosidades, está cheio de pessoas expondo coisas sem nenhuma importância sobre suas vidas.

Sem dúvida, as redes sociais da internet podem ser muito bem utilizadas. Podemos encontrar e oferecer boas coisas através delas: boa literatura (inclusive a Bíblia em diversas versões), fazer novas amizades (embora isso requeira muito cuidado), manter contato com amigos e irmãos, trocar estudos e até evangelizar pessoas.

 

 

 

Descrição: http://2.bp.blogspot.com/-jxpbzEitDog/URTImKv8qJI/AAAAAAAAALw/KzbQB--BUCg/s320/perigo+na+internet+pca+2.jpgOs Perigos da Internet e das Redes Sociais.

Podemos enfrentar problemas com o mau uso dessas redes, sendo levados a incorrer em uma série de perigos. A primeira coisa em que precisamos pensar é que qualquer coisa comunicada por meio da Internet pode ir bastante longe. Lembre-se disso, pois isso pode ser uma coisa muito boa ou... muito ruim.

Outra coisa importante é considerar que qualquer pessoa pode postar qualquer coisa na internet. Praticamente não há meio de censurá-la. Até mesmo grandes instituições, como bancos, governos, etc., têm dificuldades na luta contra a astúcia de pessoas desonestas (chamados hackers) que buscam meios de burlar os sistemas e causar danos e prejuízos.

Para nós, existem perigos de roubo de senhas de segurança e dados pessoais, exposição de imagem, riscos com ladrões, sequestradores, pedófilos e aproveitadores de todo tipo. Mas, além disso, os crentes (jovens e adultos) não podem ignorar que existem também os muitos “hackers” da nossa alma, que querem roubar a integridade do ser humano e a fidelidade dos verdadeiros filhos de Deus.

Eu sei que você pode estar pensando a essa altura que isso tudo é bobagem e que o risco não é tão grande assim. Mas, Deus nos ensina:

“O PRUDENTE PREVÊ O MAL, e esconde-se; mas OS SIMPLES PASSAM E ACABAM PAGANDO” (Provérbios 22.3).

“Portanto, VEDE PRUDENTEMENTE COMO ANDAIS, não como néscios, mas como sábios” (Efésios 5.15).

          Então, fique alerta e siga em frente! Daqui por diante, vamos falar sobre alguns desses perigos que corremos e como devemos agir, como pessoas prudentes e tementes a Deus.

a)  A mentira:                                                       

Descrição: http://4.bp.blogspot.com/-y5aRkdGieH0/TiMuUsI9KRI/AAAAAAAADeI/xD3QFWmfHXI/s1600/MENTIRA_internet.JPGÉ muito comum a prática da mentira no meio das comunicações virtuais. Pessoas mentem sobre idade, quem são, formação, etc. Os motivos podem ser relevantes ou não, mas parece que a “mentira virtual” não é vista como mentira e que deixou de ser pecado. Se precisamos mentir para fazer ou ter alguma coisa, melhor não fazer.

 

“Por isso DEIXAI A MENTIRA, e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros” 
(Efésios 4.25).

Descrição: http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTOnzSEjBWDyLHeFXaiiuq6IK5Oz4cVZJlUagPydpKxOK9D0Y_D“Vós tendes por pai ao DIABO e quereis satisfazer os desejos de vosso pai... Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e PAI DA MENTIRA” 
(João 8:44).

Isso mesmo. Praticam aquilo que é próprio de Satanás, o próprio criador da mentira.

b)  O vício:

Sempre que falamos em vício, pensamos em coisas como cigarro, bebidas e outras drogas. Mas o vício não se prende exclusivamente a essas coisas. Na verdade, a palavra vício vem do latim “vitius” e quer dizer “tendência habitual para o mal”. Na Bíblia, é a palavra grega “kakia” que representa “o que é oposto à virtude”. Sendo a virtude uma qualidade que nos leva a fazer coisas boas, o vício é um defeito de caráter que nos leva a fazer coisas más. Assim, todo tipo de hábito ruim deve ser visto como um vício. É a nossa concupiscência em ação!

O uso da internet não é uma coisa ruim, mas o hábito de seu uso prolongado (às vezes por horas) tende a se tornar um grande mal. Tempo desnecessariamente gasto em coisas que não edificam é algo muito ruim. O trabalho, os estudos e mesmo o estudo bíblico podem ser prejudicados por um impulso irresistível de ficar na frente do computador fazendo outras coisas (navegando, jogando, conversando, etc.).

Veja se você não está deixando de cumprir deveres, perdendo horas demasiadas nisso. Se não está deixando de ter atividades físicas e relacionamentos pessoais por causa disso. Verifique, também, se, pelo tempo longo demais ligado ao computador (PC, Note, tablete, celular etc.), não existem coisas que estão saindo do seu controle e tornando-se algo irresistivelmente forte em sua vida e lhe levando a pecar.

O vício no uso da internet pode trazer outros vícios piores, que destroem a saúde do corpo e da alma também. Jogos, filmes, pornografia, fofocas e outras coisas podem sujar sua mente e ocupar um grau de importância sobre outras coisas que podem destruir certas (senão todas) áreas da sua vida.

 

Descrição: http://1.bp.blogspot.com/_vkOGJU3o9MA/TAmbNm4njpI/AAAAAAAAACo/mzRDqfDDaoY/s400/i+love+my+computer+because+my+friends+live+in+it.png“... renunciando à IMPIEDADE e às CONCUPISCÊNCIAS mundanas, VIVAMOS neste presente século SÓBRIA, e JUSTA, e PIAMENTE” 
(Tito 2:12).

c)   Solidão e isolamento:

Outro perigo da internet é a falsa sensação que ela pode causar de que estamos nos relacionando adequadamente com as pessoas. Precisamos nos relacionar com pessoas nas nossas atividades diárias (escola, trabalho, igreja, lazer). O problema é que alguns começam a se isolar de pessoas “de verdade” e a se ligar somente às “amizades virtuais”. Cuidado! Se os seus “melhores” amigos ou a maioria deles são virtuais, talvez você não perceba o quanto está sozinho.

      As redes sociais podem e devem ajudar no contato com os amigos, especialmente com aqueles mais distantes, mas não substituem a convivência social.

Busque boas amizades. Converse pessoalmente com elas, tenha momentos de lazer com aquelas que você puder, influencie as que estiverem ao seu alcance e deixe-se influenciar por aquelas que tiverem coisas boas para lhe passar. Principalmente, procure se aproximar daquelas com quem você pode ter comunhão espiritual e compartilhar de coisas edificantes.

A maioria dos que “curtem” suas postagens, jogam com você ou te convidam para participar de alguma coisa na Rede não é de fato seu amigo. Relacionamentos à distância são frios e os virtuais são os mais enganosos de todos.

 

“COMPANHEIRO SOU de todos OS QUE TE TEMEM e dos que GUARDAM OS TEUS PRECEITOS” 
(Salmos 119:63).

 

“O AMOR seja NÃO FINGIDO. Aborrecei o MAL e apegai-vos ao BEM.
Amai-vos cordialmente uns aos outros com AMOR FRATERNAL, preferindo-vos em honra uns aos outros” 
(Romanos 12:9-10).

 

Descrição: Segurança

d)  Exposição indevida:

Um perigo terrível é o da exposição indevida ou superexposição na internet. Alguns desses riscos podem ser evitados ou, na maioria, minimizados. Não devemos fornecer dados pessoais (senhas, endereço, nº de documentos, conta bancária, nome e idade) a ninguém. É claro, que existem situações onde isso será necessário, mas deve ser evitado e, quando isso ocorrer, deve ser feito com muito critério. Existem muitos roubadores de dados que podem fazer mau uso deles (ex.: hackers e sequestradores). Cuidado com e-mails de desconhecidos ou mesmo de pessoas conhecidas que pareçam estranhos. Geralmente eles contêm vírus que podem vasculhar dados ou causar danos ao computador.

     Existem outros tipos mais complicados de exposição nas redes sociais. Quando fazemos um perfil em qualquer rede social, inevitavelmente, expomos coisas a nosso respeito. Não se deve colocar dados completos (endereço) ou deixá-los disponível para qualquer pessoa.  Para os jovens e adolescentes, também não é bom constar escola em que estudam. Com fotos e a informação da escola onde uma criança ou adolescente estuda, sequestradores e pedófilos, por exemplo, têm tudo que precisam para chegar a ele ou ela.

     Dizer a um jovem para não postar fotos, seria uma utopia, mas não podemos deixar de alertar para os riscos que isso traz. Todas as suas imagens, que você ou outra pessoa postarem, estarão na rede, e qualquer pessoa poderá ter acesso a elas. A soma do que você “publica” (fotos ou texto), “compartilha”, “curte” ou joga na sua rede (Facebook ou outros), vai ser a sua cara na internet. Você deve se perguntar: - O que os outros podem ver a meu respeito é mesmo o que eu sou? - O que eu mostro ser é algo digno? – Sim, especialmente o crente (jovem ou não) deve ter esse cuidado. Eu gosto do Facebook porque lá eu acredito ver o verdadeiro “fulano de tal”, embora nem sempre goste do que vejo. Alguns rapazes querem parecer “maus”, e algumas meninas “sensuais”. Será que essa é a imagem que devemos passar para os outros? Esse (a) é você? As famosas “fotos do espelho” (fazendo biquinho, forçando pose, etc.) geralmente não passam uma imagem realmente boa. Algumas garotas procuram tirar fotos para “parecer bonitas” (não se ofendam!!!) ou mais bonitas do que são e acabam passando do ponto de uma pequena vaidade a uma certa indecência. Cuidado. Procure parecer o que você realmente é, mas acima de tudo, procure ser alguém realmente forte ou bonito aos olhos de Deus. O seu “livro de rosto” deve mostrar um belo rosto (o rosto de alguém que glorifica ao Senhor).

Devemos lembrar que a imagem que passamos vai refletir em muitas coisas em nossa vida, pessoal ou profissional. Por ela vamos dar um bom ou mau testemunho de Cristo, atrair um tipo ou outro de amizades e talvez futuro namorado/cônjuge. Muita gente já perdeu boas oportunidades em função de coisas que postaram em suas redes sociais.

 

“Portanto, vede PRUDENTEMENTE como andais, não como néscios, mas como sábios
(Efésios 5:15).

 

“Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o CONFORME A TUA PALAVRA” 
(Salmos 119:9).

 

 “ENGANOSA É A BELEZA e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada” 
(Provérbios 31:30).

 

e)  Descrição: ANd9GcQGe3x8bv4iAiDRASkG96fq8BcA2JOA3T5kwY7qs2CSCYjnfDzfA corrupção da mente:

Preste atenção em como muitas mídias sociais tem grande capacidade em utilizar técnicas de corrupção da mente. Nossa mente é corrompida quando até certos princípios em que fomos ensinados e o nosso próprio senso crítico das coisas passam a ser lentamente desarmados.

 

“Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.” 
(1 Coríntios 15:33).

 

    Existe uma técnica ardilosa bem usada para desarmar o nosso senso crítico que consiste em não “romper a rocha”, mas penetrá-la lentamente. Você já deve ter ouvido o dito popular que diz “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, não é mesmo? Pois é, sendo dia após dia deparados com certas coisas, nossa mente pode ser lentamente minada em sua resistência ao que é mau, errado e pecaminoso. Vencidas certas barreiras, mesmo um crente começa a perder a consciência disso e, a partir daí, abre-se uma brecha para que nossa mente seja suja por todo tipo de coisa.

 

“E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente... os quais, havendo PERDIDO TODO O SENTIMENTO, se entregaram à dissolução... Mas vós não aprendestes assim a Cristo, se é que o tendes ouvido, e nele fostes ensinados... que vos despojeis do velho homem, que se CORROMPE pelas CONCUPISCÊNCIAS DO ENGANO; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira JUSTIÇA E SANTIDADE.
(Efésios 4:17-24).

    

A mente vai sendo corrompida ao ponto de achar que podemos fazer “virtualmente” coisas que na vida real não nos é permitido, ou passamos a “não ver mal algum” em coisas que são contra a Lei de Deus, como roubar, matar, fornicar, etc. Devemos nos lembrar de que o padrão do que é mau ou bom não é o nosso, mas o de Deus. Nós podemos ser corrompidos ao ponto de passarmos a achar “bom” o que era “mau”, mas o que para Deus era “mau” sempre será MAU.

 

“Todo caminho do homem é RETO AOS SEUS OLHOS, mas o SENHOR SONDA OS CORAÇÕES.” 
(Provérbios 21:2).

 

     Tome cuidado com as coisas que são muito prontas a minar nossa resistência ao pecado. Cuidado com jogos, os modismos, as “tribos” (isso é: as turmas – Mesmo as religiosas), etc. Tome cuidado especial com a sensualidade e a imoralidade, seja em palavras ou imagens. Muitas vezes ela se apresenta disfarçada em forma de “humor” ou até em coisas infantis como desenhos e quadrinhos. Muitos crentes estão vendo, postando, compartilhando, copiando, curtindo isso tudo sem critério cristão algum e sem nenhuma presença de santidade nisso. Não percebem que suas mentes estão sendo ou já foram corrompidas.

 

Algumas dicas importantes.

Antes de encerrar, me permitam deixar algumas boas dicas que colecionei sobre como devemos usar a internet:

 

a)   Vamos passar tudo pelo filtro de Filipenses 4:8

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

 

b)   Os pais devem supervisionar seus filhos jovens e crianças no uso dessas ferramentas.

 

c)    Mantenha o computador em lugar aberto e acessível, a fim de não se expor à tentações desnecessárias - (Efésios 5:11-13)

E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as.
Porque o que eles fazem em oculto até dizê-lo é torpe.
Mas todas estas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta.
 

d)   Não seja vulgar ou não se faça parecer vulgar. Tome cuidado e examine o conteúdo de fotos, imagens e o que escreve e compartilha (I Tessalonicenses 5:22)

“Abstende-vos de toda a aparência do mal”.

 

e)   Tome cuidado com senhas de segurança. Para sua segurança, em todos os sentidos, mantenha-as muito bem guardadas.

 

f)    Apague e-mails estranhos, com ofertas tentadoras de qualquer tipo, de remetentes desconhecidos ou com links para acesso a coisas que não pediu.

 

 

g)   Controle seu tempo na rede para não deixar de fazer coisas mais importantes e se relacionar pessoalmente com amigos, colegas e familiares.

 

h)      Procure sites e páginas que edifiquem. Ocupe seu tempo com coisas proveitosas.

 

i)     Não aceite qualquer pessoa em sua rede de amigos. Mantenha restritos os dados pessoais e fotos para que pessoas estranhas não tenham acesso a eles.

 

 

 

“Porque não nos chamou Deus para a imundícia, mas para a santificação.
Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o seu Espírito Santo.” 
(1 Tessalonicenses 4:7-8)

 

 

 

 

 

 

 

Pr Waldir Ferro
Igreja Batista Betel Independente
Rua das Flautas Transversais, 115 – Sto Amaro – São Paulo-SP

 

Autor: Pr Waldir Ferro
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br