Crescimento de Igreja x Salvação

Marcelo de Oliveira Lima

Uma avalanche de métodos para fazer as igrejas crescerem vem sendo difundidos entre líderes evangélicos, instruindo-os a tornar suas igrejas prósperas financeiramente e grandiosas numericamente.

É a igreja adaptada, reinventada, transformada em comercio, onde a autêntica mensagem do evangelho está sendo substituída e vendida por um discurso de tolerância e fraternidade, que esta a quilômetros dos valores bíblicos, sendo o pastor um facilitador, um apaziguador um mediador entre "seus clientes” (membros) não aplicando a disciplina Bíblica ordenada por Deus parecendo assim que são mais amorosos que DEUS, permitindo a conciliação em nome da "unidade" da “paz” e do bom convívio, para um melhor aproveitamento.

Até parece que a igreja realmente é uma empresa, um comércio administrado pelo pastor ou por um grupo de pessoas (administradores de empresa), como nas sociedades anônimas e companhias limitadas. Porém, a igreja é uma assembléia de pessoas salva, pessoas que compreenderam e aceitaram a mensagem de salvação bíblica pela soberana vontade de Deus, e estão confiando no sacrifício de Cristo para sua salvação, diferente do conceito moderno de clube eclesiástico que estão tentando rotula-la.

Àqueles que procuram fazer a obra de Deus segundo a metodologia e conceitos humanos devem lembrar-se que, embora a salvação seja oferecida a todos, poucos são os efetivamente salvos em Cristo Jesus: "Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos." (Mateus 22:14) E para que sejamos livres de homens dissolutos e maus; porque A FÉ NÃO É DE TODOS. (2Ts 3:2)

A Bíblia demonstra claramente que a salvação pertence somente ao Senhor e que somente DEle vêm à fé e o arrependimento “E, ouvindo estas coisas, apaziguaram-se, e glorificaram a Deus, dizendo: Na verdade até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida” (At 11:18). No livro de Jonas está escrito: "Do Senhor vem à salvação" (Jonas 2:9b). Esta afirmação guarda profunda simetria com toda a soteriologia bíblica, pela qual Deus nos elegeu livremente para a salvação antes mesmo da fundação do mundo (Efésios 1:3,4; 2 Tessalonicenses 2:13; Apocalipse 13:8; etc).

É o Espírito Santo quem convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo (João 16:8); é Deus quem dá a fé (Efésios 2:8 e Hebreus 12:2, compare com João. 6:64-65 e 1 Coríntios 12:3) e o arrependimento (Atos 5:31, 11:18; Romanos 2:4; 2 Coríntios 7:9; 2 Timóteo 2:25; etc.), ambos para a salvação. Assim, Deus faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade (Efésios 1:11; veja também Efésios 1:4-5; Tiago 1:18; Salmos 115:3 e 135:6; etc.) e concede redenção a quem Ele quer, segundo a Sua infinita misericórdia (João 1:13, 6:37; Romanos 9:15-16; Efésios 2:1-10; Tito 3:5; Tiago 1:18; etc.), sem, entretanto, desprezar a responsabilidade humana (Mateus 11:28; João 5:40; Apocalipse 22:17; etc).

Uma vez entendido este assunto de difícil compreensão para muitos, porem maravilhoso, que é a salvação (2 Pedro 3:15-16; Romanos 11:33-36), podemos afirmar que nenhum esforço humano para levar as pessoas a Cristo terá sucesso sem a suprema volição de Deus, conforme os Seus eternos propósitos. "Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam." (Salmos 127:1). “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade”. (Fp 2:13)

O método bíblico é: "...Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura." (Marcos 16:15). Apenas os que crerem serão salvos (verso 16); porém a fé salvadora não é para todos, pois ninguém pode ter o novo nascimento pela vontade da carne, por desejo próprio: Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. (Jo 1:13) e "Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia" (João 6:44).

Os métodos usados para atrair pessoas à igreja para ouvir coisas aprazíveis e participar de um culto adocicado, contemporizado, e festivo com mensagens feitas para acariciar os egos não encontra respaldo bíblico. O pregador não tem a função de convencer ou enaltecer a ninguém, mas apenas de pregar todo o conselho de Deus, de levar a mensagem do evangelho a toda criatura. Pregando dessa forma, crerão todos quantos estão ordenados para a vida eterna (Atos 13:48), não sirvamos o pão de Deus no prato do diabo.